“A culpa é do Município!!”

Charge: Jousefe Oliveira
Charge: Jousefe Oliveira

Escrever sobre a cidade de Parintins é algo sempre prazeroso, apesar de tantas coisas tristes que tem acontecido com ela.

Na manhã de segunda feira, sai de casa e me pus a pensar em que assunto trataria para esta referida publicação, e numa frenética compulsão por escrever apareceu-me uma enfileirada pilha de problemas que causam esquizofrenia ao município. Mas, queria também pôr nessas linhas, alguma história de algum morador que pudesse fomentar mais a criticidade deste texto, e eis que ao chegar em casa, ouvindo a rádio local do jornal do meio dia, ouvi a seguinte chamada “Dona de casa fratura o braço ao cair em um buraco em via pública”. Houve um silêncio em mim, ao ouvir o relato daquela senhora, cuja voz carregava completa revolta.

A rádio nos propõe isso, nos ater somente a voz, e num momento de escuta, ouvir mais atenciosamente o próximo. Sentia no depoimento dela o descontentamento pela falta de sorte, ela dona de casa com marido desempregado e cujo sustento era feito pelas mãos através do ofício de costureira, via-se incapacitada vítima de um mísero buraco de rua, e exclamava em alto tom de voz: “A culpa é do Município!!”. Senti nessa frase uma culpa demasiada pelo acidente sofrido por ela, como se eu e todos os moradores fôssemos culpados por tudo isso que tem engolido esta cidade.

A palavra dita por ela “município” engloba a todos como culpados, eu, você e toda a parafernália do poder público. Há uma certa passividade da população em frente ao descaso da prefeitura para com os problemas enfrentados por nós diariamente.

A grande massa desprovida de educação aceita os castigos, resultado das más escolhas para os seus representantes, e a cada buraco de rua que surge em nossos caminhos servem como lembrete das consequências sofridas pela má administração. E assim como aquela senhora cuja voz carrega a tristeza e revolta pela situação sofrida, a nós também nos carece de voz e atos mais ‘agressivos’, no sentido de sair mais das reclamações em redes sociais e se impor na frente da prefeitura, exigindo aquilo que nos é dado por direito.

E para o término deste texto, fica a situação da senhora vitimizada por um dos vários vilões enfrentados por nós todos os dias; o buraco de rua, e a certeza que assim como ela, nós podemos facilmente ser a próxima vítima dos infindáveis buracos.

Fonte: Jousefe Oliveira|Raio X Amazônia

Deixe um comentário