The news is by your side.

Alessandra Campêlo destaca mulheres no debate político nesses 100 dias

Nos 100 primeiros dias de seu segundo mandato, a deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) manteve seu radar político direcionado para os direitos das mulheres. Demandas do interior, apoio aos servidores públicos e a ampliação das ações parlamentares para o âmbito da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale) são alguns dos destaques desse início de jornada em 2019.

Para a vice-presidente da Assembleia, a aprovação do Projeto de Lei de combate à Violência Obstétrica (PL n° 96/2019) no mês de abril foi o principal destaque. Agora as mulheres contam com medidas de proteção contra a Violência Obstétrica nas maternidades, hospitais e demais unidades de saúde da rede pública e privada. “Foi uma vitória das mulheres, uma vitória da sociedade, uma vitória dos seres humanos que precisam ser respeitados, independente de ser homem ou mulher”, definiu Alessandra.

A deputada ganhou visibilidade nacional ao assumir a presidência da Secretaria de Mulheres da Unale. No centro do debate nacional, defendeu as mulheres na discussão da Reforma da Previdência, se posicionou contra o corte de 30% dos recursos para as universidades federais e institutos tecnológicos e a extinção dos conselhos de representação da sociedade civil.

Ao lado das deputadas Joana Darc (PR) e Therezinha Ruiz (PSDB), Alessandra participou no início de maio, em Washington (EUA), do “Wonder Women Tech”, que debateu a inclusão de mulheres nas áreas de Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes, Matemática, Inovação e Empreendedorismo.

Mais Médicos

Em fevereiro, Alessandra cobrou a reativação do Programa Mais Médicos. Segundo o Conselho de Secretários de Saúde do Amazonas, são aproximadamente 600 mil pessoas sem atendimento em 58 dos 62 municípios do Estado. Para ela, a União deve arcar com custos adicionais de deslocamento de médicos que alegam as grandes distâncias para trabalhar na região.

“Se tiver que fazer algum tipo de contratação especial para a Região Amazônica, tem que ser feita. O que não pode é, por causa de uma questão política entre o governo do Brasil e o governo de Cuba, a gente simplesmente ficar sem médico”, afirmou Alessandra.

Servidores e interior

A deputada participou da solenidade de assinatura das promoções de 2.260 policiais militares, sendo 2.199 praças e 61 oficiais, e defendeu os trabalhadores da saúde e da educação, cobrando melhorias salariais e das condições de trabalho.

Os municípios também tiveram voz no mandato. Manacapuru (distante 68 km de Manaus em linha reta), Borba (distante 151 km da Capital), Eirunepé (1.160 km), Itacoatiara (176 km), Beruri (173 km), Envira (1.208 km), Parintins (369 km), Boa Vista do Ramos (271 km), Urucurituba (208 km), Iranduba (27 km), Coari (363 km), Presidente Figueiredo (117 km), Tonantins (865 km) e Fonte Boa (678 km) foram contemplados com ações e pronunciamentos. O trabalho está apenas começando.

Números:

137 Requerimentos;

20 Projetos de Leis Ordinárias;

8 Projetos de Resoluções Legislativas.

Fonte: SAPL

Texto: Assessoria da Deputada

você pode gostar também
Comentários
carregando...