CPI da Covid
Foto: Pedro França/Agência Senado

O presidente Jair Bolsonaro disse que não irá responder a carta de “bandidos” e “ladrões” da CPI da Covid e que não comprou a Covaxin. Afirmou que tomou providências quando foi alertado das irregularidades pelo deputado Luis Miranda (DEM-DF).

As declarações foram feitas em rápida entrevista à Rádio Gaúcha. O presidente se irritou com o jornalista. No áudio, é possível ouvir apoiadores gritando “jornalismo lixo“.

“Gastamos um centavo com a Covaxin? Eu gastei um centavo? Responda“, falou ao jornalista. “Além dos filtros do Ministério da Saúde, você tem o compliance nosso, você tem a CGU [Controladoria-Geral da União] e tem o TCU [Tribunal de Contas da União], e tem eu no final da linha que vai: só compra passando pela Anvisa [Agência de Vigilância Sanitária]“, disse.

Bolsonaro também fez uma conta que simula as irregularidades citadas no Ministério da Saúde: “Se multiplica 400 milhões de doses vezes 150 doses vezes R$ 5 dá R$ 300 bilhões. Isso é uma coisa absurda, meu Deus do céu. Eu assinei uma MP em dezembro do ano passado de R$ 20 bilhões para comprar vacina para todo mundo. R$ 300 bilhões não tem cabimento, é uma coisa absurda. Só serve a Renan Calheiros, só serve a Omar Aziz ou a Randolfe“, afirmou.

Na live de 5ª feira (8.jul.2021), Bolsonaro já havia falado sobre os 3 senadores:

Quando questionado sobre uma possível reunião do deputado Luis Miranda com o presidente para tratar do caso, Bolsonaro se irritou com o jornalista e afirmou: “Ô cara, você vai ouvir sobre o que eu quero falar“. “Eu tenho reunião com 100 pessoas por mês. Os assuntos mais variados possíveis. Eu não posso simplesmente chega uma coisa para mim e ter que tomar providência imediatamente. Tomei providência nesse caso. Comprou uma dose?“, perguntou Bolsonaro.

VOTO IMPRESSO

Questionado sobre o tema, o presidente disse: “Você quer eleições limpas? Eu quero perguntar: você quer eleições limpas? Nós queremos também”.

Por Poder360