Parintins Notícias
Notícias de Parintins

Deputados estaduais discutem preços de passagens para o Festival Folclórico de Parintins

Por Diretoria de Comunicação da Aleam

Os altos preços das passagens aéreas, além de custos de hospedagem e outros quesitos para prestigiar o Festival Folclórico de Parintins, que acontece nos dias 24, 25 e 26 de junho, foram discutidos na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), nesta quarta-feira (23), pelos parlamentares estaduais.

O presidente da Aleam, deputado Roberto Cidade (PV), foi o primeiro a manifestar perplexidade diante dos valores, especialmente das passagens áreas para Parintins (distante 369 km em linha reta de Manaus). O parlamentar disse estar preocupado com o Festival Folclórico de Parintins, deste ano. Lembrou que sempre visita a cidade e desde criança prestigia a festa dos bois Garantido e Caprichoso.

“Ao me programar para o Festival deste ano, me deparei com o valor absurdo das passagens aéreas, na época do Festival. O valor de Manaus para Parintins, no período do Festival, custa em torno de R$ 5 mil. Isso é um absurdo! A população do Amazonas não tem dinheiro para isso. Somente pelos valores das passagens se percebe que deverá ser um Festival muito caro, porque a hospedagem de uma casa para os três dias da festa também está em torno de R$ 5 mil também”, exemplificou.

A intenção, segundo Roberto Cidade, é buscar uma solução junto aos demais parlamentares para tornar o Festival mais acessível à maioria das pessoas. “Falo sobre esses custos para que possamos intervir logo, por meio de uma Audiência Pública, por exemplo, com as agências de turismo para tentar baratear esses custos para que a população do nosso estado possa também prestigiar o Festival, que é o maior Festival Folclórico do Amazonas”, explicou.

O deputado Dermilson Chagas (sem partido) parabenizou a escolha do tema, visto que o evento, com este custo afasta os turistas. Ele lembrou que há algum tempo, o governador Wilson Lima (PSC) fez uma negociação com as empresas de aviação em relação ao Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de combustíveis, sendo necessário saber como está este benefício. “Esse acordo com as empresas de aviação era para baratear o voo para municípios como Tabatinga (1.108 km), Parintins, e outros municípios do território do Amazonas. Então temos de saber como está a situação porque o sucesso do Boi de Parintins depende desse barateamento. O custo está muito elevado e isso afasta o público. Ao pesquisar o preço das passagens, a pessoa já imagina o custo da hospedagem e dos ingressos, então desiste e viaja para outro lugar”, afirmou.

Em seu pronunciamento, o deputado Adjuto Afonso (PDT) também parabenizou o tema abordado, acrescentando que está inviável viajar para qualquer município do Amazonas. “O preço inviabiliza a pessoa de visitar qualquer município. Já foi proposta uma Audiência Pública para tratar sobre o tema, então vamos chamar as empresas e a Secretaria de Fazenda para saber quanto que está sendo renunciado pelo Estado e cobrar das empresas que voem inclusive com aviões maiores”, sugeriu.

Para o deputado Tony Medeiros (PSD), o assunto é interesse de todos, atribuindo a alta à ‘lei da oferta e da procura’. “O seu pronunciamento, presidente é o pronunciamento do Amazonas, que hoje está impedido de visitar o festival com preços tão altos”, declarou.

Uma Audiência Pública para tratar da alta dos preços como um todo também é a sugestão do deputado Belarmino Lins (Progressista). Ele concordou que é um absurdo uma viagem de ida e volta dentro do Amazonas custar o equivalente a uma viagem para a Europa.

Anúncio do Feclam

Cidade também anunciou a realização da 2ª edição do Fórum Estadual das Casas Legislativas do Amazonas (Feclam) no próximo mês de abril, nos dias 19 e 20, esperando repetir o sucesso da 1ª edição realizada em 2021, que reuniu centenas de parlamentares de todo o Amazonas.

-publicidade-