The news is by your side.

- Publicidade -

Desempenho ao longo da vida das aves é ditado pelos cuidados na fase inicial

Letícia Braga, da Biomin, alerta para a vulnerabilidade de pintos de um dia às doenças causadas por bactérias patógenas

A fase inicial da produção de frangos de corte apresenta desafios específicos, que exigem atenção do avicultor para que as aves alcancem todo o seu potencial de desempenho. Isso ocorre porque, ao nascerem, os pintinhos ainda não desenvolveram completamente os sistemas digestivo, imune e termorregulatório. A Biomin, empresa de soluções naturais do Erber Group, alerta para a atenção ao manejo e à ambiência, especialmente nas duas primeiras semanas de vida.

“Como, no início do ciclo, as aves não conseguem manter a temperatura ideal de homeostase, o aquecimento é muito importante. Sem as condições favoráveis, elas podem apresentar retardo no crescimento e desenvolvimento inadequado do sistema digestivo, resultando em menor peso na idade de abate. O sistema digestivo é outro ponto de atenção: por ser imaturo, a dieta precisa ter altos níveis de digestibilidade e valor nutricional”, alerta Letícia Braga, gerente técnico-comercial da Biomin.

Os pintinhos apresentam baixa variedade e quantidade de bactérias benéficas, responsáveis por proteger o organismo e evitar infecções intestinais ou sistêmicas. Nessa idade, o sistema imune ainda não tem capacidade para se defender sozinho e o produtor ou técnico precisa lançar mão de soluções que contribuam para a proteção da saúde das aves.

“Para ter um sistema imune robusto é necessário iniciar a colonização da microbiota o mais cedo possível com o uso de probióticos. Ao colonizar o sistema gastrointestinal, essas soluções excluem as bactérias patogênicas de forma competitiva. Algumas medidas podem ser tomadas ainda no incubatório, assim quando chegarem às granjas os pintinhos já terão começado a desenvolver uma ferramenta de defesa contra os possíveis patógenos lá presentes”, explica Letícia Braga. Os probióticos podem ser fornecidos via spray, associados na aplicação das vacinas de coccidiose ou de vírus respiratórios, via água de bebida ou alimento.

Segundo a especialista da Biomin, outra vantagem do uso de probióticos é a queda da mortalidade. Letícia explica que ao inibir a colonização de bactérias patogênicas o nível de lesões e contaminações intestinais também cai, reduzindo a possibilidade do seu acesso em outros órgãos – causa importante de mortalidade nessa fase da produção. Além disso, o fornecimento de probióticos reduz a disponibilidade de espaço para ocupação dos patógenos.

Comentários
Carregando...