Parintins Notícias
Notícias de Parintins

Festa de Ogum: cantor lança clipe de música Afro em ritmo de Boi-bumbá

Para celebrar a cultura afro, em especial, o Candomblé, o cantor amazonense James Rios lançou o clipe da música “Festa de Ogum”. A composição é em ritmo de boi-bumbá, cultura parintinense que usa um típico estilo musical de Parintins-Amazonas, a toada. O produto circula nas redes sociais e ganha repercussão pela mistura do batuque dos terreiros com a batida do tambor indígena.

“Festa de Ogum” é uma canção dos conhecidos compositores do Festival Folclórico de Parintins: os intitulados “Baiás” (Enéas Dias, Marcos Moura e João Kennedy) e Adriano Aguiar. A música tem a produção musical de Ney Ferreira (NF Studio), Julio Gama, Fabrício Nunes e Valdemar Filho (Pelado). Devido a pandemia do novo coronavírus, ela teve que ser gravada toda em estúdio. James Rios conta que a ideia era filmar espaços e personagens do Candomblé, mas não foi possível.

Ogum, orixá do cantor

Segundo o compositor Enéas Dias, a música foi composta em homenagem a James Rios, cantor, amigo e pai de santo. A música exalta o Candomblé, em especial, Ogum (no sincretismo religioso, São Jorge) orixá guia de James Rios. Na letra da canção não há sincretismo, existe apenas a referência a cultura Afro.

“O James tem características musicias e sua própria história trazem ele para essa questão da música negra. Além de grande cantor, ele é pai de santo. Então, ele tem essa ligação na sua vida e a gente vê nele essa questão da música afro muito fluente e muito identitária”, explicou Enéas Dias, apontando para identidade africana na composição da música, que reflete a própria vida do cantor.

Apesar de não haver sincretismo na letra, a melodia, harmonia e arranjos da música revelam uma mistura de ritmos e culturas, mas com base na toada de boi-bumbá. Uma ideia muito presente nos trabalhos musicais dos compositores. “Eu sou um entusiasta nessa questão de mistura de ritmos… O objetivo é mostrar que nossa toada pode ser misturado com responsabilidade, organização e com lógica”, justifica Enéas.

Marcos Moura parabenizou e agradeceu James Rios pela gravação do clipe. Para o Baiá, a música mostra a força e a importância do diálogo entre as culturas. “A vontade do povo vai se revelar no batuque liberto do meu coração. Obrigado por agregar valor à nossa obra com seu talento. Axé!”, disse Marcos, citando trecho da música.

James Rios já gravou outras toadas dos Baiás como Quilombolas da Amazônia e Cores da Fé. Ele agradeceu a parceria e avaliou de firma positiva o produto final. “Em meio a loucura em que o mundo se encontra, preparamos com muito carinho esse clipe para que possam prestigiar de dentro de suas casas em segurança!”, finalizou.

 

Parintins24hs.com.br

você pode gostar também
Comentários
Loading...