Governo do Amazonas ampliou em 207% os leitos UTIs para pacientes com Covid-19 desde o início da pandemia

Com o registro de 95 novas hospitalizações em um único dia, autoridades recomendam a não participação de qualquer tipo de aglomeração; pressão sobre o sistema de saúde já atinge a rede particular

Desde o início da pandemia da Covid-19, em março de 2020, o Governo do Amazonas ampliou o número de leitos em 207%, saindo de 50 leitos de UTI exclusivos para pacientes de Covid-19 para os atuais 207, triplicando a oferta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Em números totais, incluindo leitos de UTI e clínicos, o aumento foi de 43%, saindo de 582 leitos para 832, conforme dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), atualizados nesta segunda-feira (28/12).

A crescente demanda por leitos, em razão da alta circulação de pessoas e disseminação do vírus, além do Sistema Único de Saúde (SUS), está impactando também a rede particular. Por isso a necessidade da colaboração da sociedade para não participar de aglomerações e manter o uso de máscaras, cobrindo boca e nariz.

Apenas no Hospital Delphina Aziz, o aumento foi de 183%, uma vez que antes da pandemia a unidade contava com 50 leitos de UTI e, nos próximos dias, totalizará 150 leitos exclusivos para pacientes Covid.

De acordo com o secretário da SES-AM, Marcellus Campêlo, o aumento de 207% comprova os esforços do Governo do Amazonas em oferecer assistência para a população, inclusive antecipando mais uma fase do Plano de Contingência Estadual para o Recrudescimento da Covid-19.

O titular da pasta ressalta, porém, que o compromisso de enfrentamento da Covid-19 deve ser de toda sociedade. “E a gente pede à população que colabore nesse momento em que nós vamos ter uma diminuição das atividades, que a população possa se recolher, evitar as aglomerações, trabalhar mais ainda os protocolos de higienização das mãos e ajudar a toda a sociedade no combate à Covid, principalmente na utilização de máscaras”, ressaltou o secretário.

Nova fase de abertura de leitos – Neste domingo (27/12), após o registro de 95 novas hospitalizações em um único dia, a secretaria antecipou à quarta fase do plano de abertura de leitos Covid e começou o movimento para a mudança de perfil do Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto, na zona centro-sul de Manaus.

Conforme o Boletim Diário de Covid-19 da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), esse é o maior número de internações em um único dia, desde o dia 15 de maio, quando foram registradas 82 hospitalizações. Dessas internações, 88 são na capital e apenas sete no interior, o que obriga a SES-AM a acelerar a mudança de perfil das unidades da rede estadual na capital.

Com a mudança de perfil, o HPS 28 de Agosto, que estava com 12 leitos de UTI Covid-19, passa a contar com 40 leitos. Conforme o plano, os 12 leitos de UTI do 5º andar, que eram para a Covid-19, se transformam agora em leito de UTI geral, e os 40 leitos de UTI geral do 1º andar serão todos Covid-19.

Ainda na noite de domingo, a SES-AM mobilizou hospitais gerais, como o Adriano Jorge e o Getúlio Vargas, além de outras unidades definidas no plano como unidades de retaguarda, para receberem pacientes não Covid-19 internados na UTI do 1º andar do HPS 28 de Agosto, de forma a poder destinar o espaço para receber pacientes com a Covid-19. O hospital também vai reservar um outro andar exclusivo para leitos clínicos Covid-19.

O mesmo movimento foi feito entre quarta-feira da semana passada e o domingo para transformar o HPS Platão Araújo, na zona leste, em unidade referência para a Covid-19. Nesse intervalo, 119 leitos da unidade – 89 clínicos e 30 de terapia intensiva – foram transformados em leitos exclusivos para a Covid-19. Uma nova enfermaria com 31 leitos está sendo preparada para essa finalidade na unidade.

“Estamos encerrando a implantação da terceira fase e antecipando a execução da fase quatro do Plano de Contingência”, disse o secretário, ao ressaltar que a SES-AM também abriu credenciamento para habilitar leitos em hospitais da iniciativa privada.

A SES também reorganiza a rede para contar com leitos em unidades como Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (FCecon), Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), além da rede complementar, com o credenciamento de leitos no Hospital Beneficente Português e assinatura de convênio com o Hospital Universitário Getúlio Vargas.

FOTO: Divulgação/SES-AM