Governo do Estado divulga potenciais econômicos e atrativos para investidores durante a fesPIM

Estímulo às cadeias produtivas da borracha, mel e couro de pirarucu está entre os destaques da programação

A divulgação dos potenciais econômicos do estado e a atração de novos investimentos estão entre os objetivos do Governo do Amazonas durante a sua participação na Feira de Sustentabilidade do Polo Industrial de Manaus (fesPIM), que teve início nesta quarta-feira (27) e segue até sexta-feira (29) no Studio 5 Centro de Convenções. Em um espaço de 105 metros quadrados, secretarias e órgãos estaduais apresentam ações e projetos da gestão Wilson Lima em quatro áreas: Agronegócio (incluindo Agroindústria); Desenvolvimento Econômico (incluindo Mineração, Gás e Energia); Meio Ambiente; Ciência, Tecnologia e Cultura.

Para o titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Jório Veiga, a fesPIM é uma oportunidade para valorizar a Zona Franca de Manaus e mostrar o que o Governo do Amazonas tem feito para diversificar a matriz econômica do estado.

“Nós estamos trabalhando muito a bioeconomia, com várias frentes, e a atração de economia para o estado, sempre pensando na conservação da nossa floresta”, frisou ele, que tem a expectativa de um bom retorno dos visitantes e investidores que passarem pelo estande nos três dias de evento. “Nós estamos aqui com toda a equipe que pode dar as informações necessárias, e vendo tudo o que está se fazendo aqui no estado fica mais fácil ainda vender a nossa Zona Franca”.

Outro destaque da Governo do Amazonas na fesPIM é o Shopping do Artesanato, que teve bastante movimento no primeiro dia de feira. A Secretaria Executiva de Trabalho e Empreendedorismo da Sedecti é a responsável pelo espaço, onde 11 artesãos de Manaus, Novo Airão, São Gabriel e Barcelos estão expondo e comercializando os seus trabalhos.

De acordo com a secretária executiva Neila Azrak, o volume de vendas e encomendas até agora superou as expectativas. Para ela, grandes eventos como esses ajudam a valorizar ainda mais a economia solidária. “Temos que divulgar o trabalho de excelência, o artesanato genuíno, o trabalho de cada artesão, e divulgar também cada município porque cada município tem um diferencial, é uma beleza diferenciada e o nosso artesanato do Amazonas é um artesanato bem visto em todo país e no mundo inteiro”.

Painéis – Além das ações nos estandes, o Governo do Amazonas promoverá, durante os dias da fesPIM, uma série de encontros entre representantes do poder público, do setor privado, da academia e da sociedade civil para discutir os desafios e oportunidades da bioindústria amazônica. Nesta quarta-feira, o tema foi a revitalização da cadeia produtiva da borracha.

De acordo com a presidente do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), Eda Oliva, os principais órgãos do governo estão emprenhados nesse processo. “O governo tem dado todo o possível. Além das subvenções federais há a subvenção estadual. Essa subvenção tem a possibilidade de ser aumentada percentualmente, no decorrer de toda a gestão do governador Wilson Lima. Ele já está com esse propósito, como ele fez com a malva e juta. Ele também tem esse propósito de aumentar a subvenção estadual, ou seja, o subsídio”, afirmou.

Um dos participantes desse encontro foi o executivo Marco Garcia, representante da Rubberon, empresa que está adquirindo, por meio da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), uma fábrica de beneficiamento de borracha que estava inativa em Iranduba. A previsão é que a fábrica volte à ativa a partir de fevereiro 2020, com capacidade de produzir 500 toneladas de borracha por mês.

De acordo com Garcia, a subvenção do governo estadual à borracha produzida no Amazonas é um estímulo genuíno à retomada dessa cadeia produtiva. “Acho que o trabalho vem sendo feito e tem tudo para dar certo. O Governo do Estado, junto com a iniciativa privada e junto com as associações, está trabalhando em conjunto para que isso possa acontecer”, comentou.

A reativação da fábrica de Iranduba deve beneficiar ainda diversas associações de produtores de borracha do estado, que poderão escoar melhor as suas safras. Para o representante da Associação de Trabalhadores Agroextrativistas de Eirunepé, Mistano Severiano, os investimentos nesse setor significam melhoria para a população do interior.

“Eu vejo com muito entusiasmo, são alternativas que você cria para o interior, que é onde realmente necessita, que é aquele camarada lá da ponta, porque as políticas chegam muito poucas lá para ele, e isso é uma alternativa que vai melhorar mais a qualidade de vida dele”, disse.

Outras cadeias produtivas – Nesta quinta-feira, o tema do painel será “Valorização e beneficiamento da pele do pirarucu de manejo no Amazonas”. O encontro acontece das 15h às 17h na sala 3 do Studio 5. Segundo o representante da Secretaria de Produção Rural do Amazonas (Sepror), Luís Otávio, o manejo do pirarucu é um dos projetos mais exitosos nessa área. “Neste ano de 2019 estão sendo adquiridas cerca de 30 mil peles para a indústria de couro. Isso representa uma injeção direta no interior do estado de cerca de R$ 5 milhões diretamente aos manejadores. Isso é muito importante, a gente levar esse desenvolvimento para o interior”, destacou.

Na sexta-feira (29), o foco do painel promovido pelo Governo do Estado será a cadeira produtiva do mel no Amazonas. O encontro também acontece das 15h às 17h na sala 2 do Studio 5. “No segmento do mel, temos um projeto inovador, de rastreabilidade de colmeias. Isso, em centros mais desenvolvidos já vem ocorrendo, e a gente tem o projeto de implantação da rastreabilidade de colmeias no estado do Amazonas. É um segmento que a gente imagina um potencial muito grande e acreditamos que o Amazonas tem todas as condições de biodiversidade para se transformar em referência mundial na produção de mel”, completou Luís Otávio.

Mais ações – A Amazonastur também marca presença na fesPIM com a apresentação dos produtos turísticos do estado e orientação sobre a captação de investimentos junto a potenciais parceiros. Dentre as áreas destacadas pelos técnicos estão o turismo de experiência e de base comunitária, a pesca esportiva, o ecoturismo, dentre outros.

Já a Companhia de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Ciama) está disponibilizando no estande do governo informações sobre projetos econômicos e de engenharia, além de planos de negócios que podem ser elaborados pelo órgão, atendendo tanto a capital quanto o interior.

Na Internet – O Governo do Estado lançou nesta semana um hotsite que reúne informações sobre áreas estratégicas da economia local, como mineração, piscicultura, construção naval, eletroeletrônicos, agronegócio, turismo, economia criativa, dentre outras. O conteúdo pode ser acessado em www.invistanoamazonas.com.br.

O hotsite destaca ainda facilidades e diferenciais que os investidores encontram no Amazonas, como a localização privilegiada em relação aos países da América Latina e aos Estados Unidos. Com voos diretos e regulares para Miami (distante aproximadamente cinco horas via aérea de Manaus), os produtos da Zona Franca chegam aos principais mercados internacionais e os insumos também têm rota facilitada para chegada e abastecimento das indústrias.

FOTOS: TÁCIO MELO/SECOM

Comentários
Loading...