Alexandre Salvador, o “Alex”
Alexandre Salvador, o “Alex”

Há dez anos, suas mãos pintam, desenham e esculpem cenários alegóricos colossais no Boi Caprichoso e nas escolas de samba do Rio de Janeiro, a última, a Mocidade Independente de Padre Miguel, no Carnaval deste ano. Hoje, aos 28 anos, Alexandre Salvador, o “Alex”, é artista da elite da nova geração de artistas do Boi da Francesa.

A trajetória de Alex iniciou aos 17 anos. Ele recebeu a missão para confeccionar os adereços das tribos que iriam compor o cenário de uma das alegorias do Boi Caprichoso, em 2008, a convite do artista Rogério Azevedo.

Um dos trabalhos de Alex foi na lenda amazônica Tapiraiauara, em 2012
Um dos trabalhos de Alex foi na lenda amazônica Tapiraiauara, em 2012

Sua excelente desenvoltura artística surtiu efeito e lhe rendeu no ano seguinte, mais um convite para expor seu talento, desta vez, nos galpões principais do Boi da Francesa. Alex atendeu ao chamado de Juarez Lima, um dos principais artistas do Caprichoso. A esmera criatividade de Alex foi inserida na alegoria “Artesão Parintinense”, junto aos demais artistas da equipe.

Um ano depois, o renomado Emerson Brasil, se rendeu as obras do jovem Alex, que o colocou para atuar nas lendas amazônicas “Abaçaí” e “Tapiraiauara”, as duas de proporções gigantescas e em anos distintos.

O consagrado Rossy Amoedo, não ficou para trás e o trouxe para desenvolver junto à sua equipe, a lenda do “Boto”. O sucesso de Alex evidenciou ainda mais com outra lenda, “Bicho Folharal” e o ritual “Xawara”, esta última alegoria, sob o comando do artista Juscelino Ribeiro.

No ano passado, Alex foi o artista de “ponta” de Juarez Lima. Ele foi um dos responsáveis para fazer as esculturas e pinturas da alegoria “Pássaro Sonhador”.

Nos carnavais

Alex Salvador começou a desenvolver trabalhos artísticos para o Carnaval carioca em 2012, com o artista Rossy Amoedo que estava na Mocidade Independente de Padre Miguel. “Foi um trabalho gratificante e tive muita sorte por ter sido convidado, por lá fiz esculturas e outros trabalhos nos carros”, contou Salvador.

Um dos carros alegóricos da Mocidade confeccionados por Alex. Foto: Roberto Filho
Um dos carros alegóricos da Mocidade confeccionados por Alex. Foto: Roberto Filho

Em 2014, o artista parintinense foi atuar na Portela, à época com o carnavalesco Alexandre Louzada. “Lá tive a oportunidade de assumir o trabalho de frente e confeccionar um carro alegórico”, lembrou.

No ano seguinte, Louzada retornou a Mocidade e, Alex embarcou junto com o carnavalesco. De um carro alegórico, passou para três e há dois anos, o artista desenvolve todos os carros alegóricos da escola de Padre Miguel. “Sempre me esforcei ao máximo e assumindo as minhas responsabilidades com as esculturas, pinturas e em liderar a equipe”, comentou.

Por Náferson Cruz | bncamazonas.com.br/toadas

Deixe um comentário