Não estamos atrás de quantidade, estamos atrás de qualidade

O Juri técnico e popular que julgou as vinte toadas na audição das composições para o CD “Um canto de esperança para a Mátria Brasilis” foi bastante rigoroso e definiu apenas 3 poesias para o projeto musical de 2019. Para a diretoria do Boi Caprichoso isso reafirma que quem esteve julgando está compromissado com a arena, sem dar prioridade para amigos ou orientado por _lobby_. “Não estamos atrás de quantidade, estamos atrás de qualidade”, disse o coordenador do Conselho de arte Ericky Nakanome, ao anunciar que o Conselho de Arte vai estudar as possibilidades de sanar essa situação.

“Não queremos um CD para agradar compositores, ou alas A, B ou C, queremos um CD para agradar a galera e fortalecer o tema do Caprichoso para o tricampeonato”, assegurou Nakanome.

O sócio fundador do Caprichoso, o radialista Aderaldo Reis exaltou o rigor na escolha das toadas e destacou que o Boi Negro de Parintins é maior que a vaidade pessoal de qualquer um. Ele se diz muito feliz em participar de um momento histórico, pois o Caprichoso ousou em abrir a votação para a galera e que hoje assume que não faz toada para cantar no curral, mas para título, para arena, para o Festival. “50% de um boi-bumbá é a galera e aqui a galera é valorizada. O caminho é esse e se Deus quiser agora é partir para o TriCampeonato”.

Um dos jurados das toadas foi o professor da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Carlos Monteiro, que pela primeira vez participa da fase inicial do projeto de arena do Caprichoso. “ Estar em Parintins é uma experiência única”, comenta o docente que trocou São Paulo por Parintins.

O presidente do boi Caprichoso, Babá Tupinambá, explicou que os jurados votaram pensando no boi de arena. “Estamos em busca de toadas para arena e não para curral”, diz. Ele confirmou que o próximo passo para fechar as toadas de galera será a encomenda de composições. Com relação às toadas estratégicas o dirigente azulado informou que já estão sendo avaliadas pelo Conselho de arte.

Não estamos atrás de quantidade, estamos atrás de qualidade

Toadas classificadas

As três toadas aprovadas aprovadas pelo júri foram:

Tribo Caprichoso – Guto Kawakami e Geovane

Rainha do Povo Azulado – Paulinho Du Sagrado

A vida me fez Caprichoso – Roberto Miranda, Rodrigo Novaes e Rosenha.

Texto: Carlos Alexandre

Fotos: Pedro Coelho

Comentários