‘Parintins faz parte da grandiosidade do carnaval’, declara presidente do Caprichoso, ao parabenizar artistas campeões

Artistas do galpão do Boi Caprichoso campeões pela Águia de Ouro, em São Paulo.
Artistas do galpão do Boi Caprichoso campeões pela Águia de Ouro, em São Paulo.

O Boi-Bumbá Caprichoso tem os melhores artistas do Brasil. Os resultados são comprovados nos maiores carnavais do País, em São Paulo e no Rio de Janeiro. O primeiro título da Águia de Ouro e o segundo campeonato da história da Viradouro têm a marca da criatividade azulada na construção dos carros alegóricos. Mais de 50% dos profissionais são formados na Escola de Artes do Caprichoso ‘Irmão Miguel de Pascalle’.

No Rio de Janeiro e São Paulo, o presidente do Boi Caprichoso, Jender Lobato, e o presidente do Conselho de Artes, Ericky Nakanome, acompanharam os artistas do bumbá nos barracões nas Cidades do Samba, antes dos desfiles. A mão de obra especializada de Parintins, seja em alegorias ou outros quesitos, mais uma vez, fez a diferença, no Sambódromo do Anhembi ou na Marquês de Sapucaí.

Para Jender Lobato, esse trabalho começou com a ousadia do saudoso carnavalesco Joãozinho Trinta em apostar no talento de artistas do Caprichoso, entre eles, o vice-presidente, Karú Carvalho, Juarez Lima, e João Afonso Vieira. “Esse intercâmbio, de lá para cá, só amadureceu e cresceu. O carnaval do Rio e de São Paulo é um antes dos parintinenses e é outro depois dos parintinenses”, avalia.

De acordo com o presidente do Caprichoso, o festival de Parintins ganhou tecnologias com a influência do carnaval. “As festas, entre si, não são concorrentes, ao contrário, são parceiras. Esse intercâmbio serve para que o nosso artista amadureça e conheça novas técnicas de trabalho, aqui no Sudeste, para aplicar no festival de Parintins. Da mesma, os artistas trazem criações de Parintins para o carnaval”, diz.

Jender Lobato se sentiu satisfeito e honrado, com o nome de Parintins enaltecido pela Rede Globo, durante as transmissões do carnaval do Rio e de São Paulo. “Esse crescimento cultural é muito importante para que a gente possa trazer cada vez mais brilho. Hoje, a gente percebe o sucesso não só artistas de alegorias, mas também de figurinos, no carnaval. Parintins faz parte da grandiosidade do carnaval brasileiro”, pondera.

Artistas do Boi Caprichoso envolvidos no trabalho campeão da Viradouro, no Rio de Janeiro
Artistas do Boi Caprichoso envolvidos no trabalho campeão da Viradouro, no Rio de Janeiro

Estética e turismo

Ericky Nakanome analisa que há uma importância muito grande a relação profissional dos artistas de Parintins com as escolas de samba, porque esteticamente os bumbás se correlacionam. “Existe, historicamente, uma aproximação estética entre a festa do boi-bumbá e o carnaval. Isso é inegável, apesar de existirem singularidades, que dividem, de fato, essa estética. Nós temos uma estética muito mais rústica, original”, frisa.

O presidente do Conselho de Artes declara que a estética do carnaval possui luxo e riqueza. “Mas, muita coisa, principalmente, na parte de matéria prima, é importante para o nosso artista que vai conhecer materiais mais leves, baratos, soluções mais viáveis, com tempo menor, que isso é maravilhoso para quem trabalha debaixo do sol e da chuva como é caso dos artistas de Parintins”, acentua.

Conforme Nakanome, o carnaval é uma ferramenta de divulgação do festival de Parintins para atrair quem gosta de folia, dança e alegria. “É o mesmo público, falando dentro de uma linguagem comercial de turismo, que vai para Parintins curtir o nosso festival e conhecer nossa cultura, porque a arte é base de tudo. A festa é um produto do turismo que precisa ser vendida para um retorno comercial a Parintins”, pontua.

Fotos: Divulgação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

-PUBLICIDADE-

Lancha Estrela de Nazaré