O Site de Notícias de Parintins

População amazonense passa a contar com serviço inédito do Laboratório Público de Estudo do Sono

O laboratório começou a funcionar na Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ)

Pessoas que sofrem com distúrbios do sono já podem contar com tratamento gratuito na rede pública de saúde do Estado. Esse benefício passou a ser possível com o Laboratório Público de Estudo do Sono, que foi inaugurado recentemente pela Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ). Com serviço inédito no Amazonas, o laboratório é resultado de parceria entre a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e a FHAJ, sendo financiado com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

O espaço beneficiará pacientes da própria FHAJ e ainda, pessoas encaminhadas por outras unidades de saúde. O local conta com uma infraestrutura acústica adequada e um sistema de monitorização que permite fazer o acompanhamento dos pacientes.

Para a realização de exames, o paciente será motivado a dormir e nesse período, uma equipe médica irá monitorá-lo. A finalidade é analisar vários parâmetros, entre os quais, frequências respiratória e cardíaca. Esses aspectos, somados a outros, ajudarão os médicos a identificar o grau de severidade dos distúrbios do sono e a partir daí, nortear o tipo de tratamento adequado.

“É um trabalho que, até então, não existia no estado do Amazonas e que, agora, a Fundação Hospital Adriano Jorge, através da investigação, da otorrinolaringologia, vai oferecer aos pacientes com doenças relacionadas a distúrbios do sono. Eles poderão passar por investigação sem ter de fazer um tratamento fora do estado”, afirmou o diretor do FHAJ, Ayllon Menezes.

Segundo o coordenador do laboratório, o médico Diego de Carvalho, pessoas que passam por este tipo de tratamento passam a dormir melhor, o que significa ter um sono mais reparador. Com isso, os pacientes conseguem fazer as atividades do dia a dia de maneira muito mais eficiente.

Legado para a Saúde do Amazonas – O Laboratório do Sono, como está sendo chamado, foi inaugurado nesta semana, juntamente com o Centro Observatório de Doenças Otorrinolaringológicas do Amazonas (COOA), projeto voltado ao desenvolvimento de pesquisas em doenças otorrinolaringológicas, que envolvem ouvido, nariz, garganta, tireoide e, ainda, as próprias doenças do sono.

Tanto o laboratório quanto o COOA são projetos implantados a partir da necessidade identificada por um grupo de médicos que atua na unidade. O Hospital Adriano Jorge é referência no estado, em Otorrinolaringologia, e já disponibiliza à população amazonense atendimentos na área há pelo menos 13 anos.

O médico Diego de Carvalho, que também coordena o COOA, destaca que “a possibilidade de tratar os pacientes e investir em pesquisa científica é um legado para o hospital (Adriano Jorge) e para a saúde do Amazonas”.

Pesquisa inicial – Uma das primeiras pesquisas que serão desenvolvidas no COOA está relacionada a pacientes curados da Covid-19 e que tiveram sentidos, como olfato e paladar, afetados.

“A gente teve uma pandemia. As pessoas adoeceram e quem ficou com sequelas? Quais são (as sequelas)?”, questiona o coordenador. Conforme ele, essas respostas vêm por meio de pesquisas e pesquisa de qualidade, como várias que estão sendo desenvolvidas em outros centros de pesquisa na capital. “Aqui, é mais um centro de pesquisa que vai ajudar a dar respostas ou levar algumas informações para que a gente consiga ter, no estado, uma proposta de saúde como um todo”, frisa o médico.

Foto: Roberto Carlos/Secom

Comentários
Loading...