Produção de hortaliça orgânica ganha mais espaço entre agricultores familiares em Parintins

Produção de hortaliça orgânica ganha mais espaço entre agricultores familiares em Parintins
Fotos: Marcondes Maciel

A produção orgânica de hortaliças e frutas vem ganhando cada vez mais espaço e se tornando uma tendência entre os agricultores familiares no município de Parintins. O projeto de pequenos produtores de comunidades rurais e áreas suburbanos do município serve como unidades demonstrativas e conta com o apoio da Prefeitura de Parintins, por meio da Secretaria de Pecuária, Agricultura e Abastecimento (Sempa).

De acordo com o agroecologista da Sempa, Luiz Carlos Roçoda, são iniciativas sustentáveis de produção orgânicas que envolvem a preservação ambiental, além de produzir alimentos sem a presença de elementos químicos prejudiciais à saúde.

Uma dessas unidades produtoras orgânica é na propriedade do produtor familiar Ronaldo Silva Repolho, na comunidade Parananema. Em um mesmo terreno seu Ronaldo cultiva hortaliças entremeado com espécies de árvores frutíferas no sistema agroecológico de produção.

De acordo com Ronaldo, o sistema de produção orgânica, por ser mais barata, possibilita cultivar em seu terreno feijãozinho, couve e alface, além abacate, uxi, castanha do pará, laranja, tangerina, goiaba e açai no sistema de agroflorestal.

“Aqui produzimos nosso próprio adubo no sistema de compostagem orgânica e nosso fertilizante, tudo orgânico. É daqui que tiramos nosso sustento e estamos com o projeto de plantar pimenta de cheiro e tomate”, afirmou.

O produtor orgânico Ronaldo explicou que sua família tinha parado de produzir e trabalhar com a terra, porém, como o apoio da Sempa ele se motivou a voltou a produzir.

Para o agroecologista Luiz Carlos Roçoda, esse é um dos vários projetos incentivados pela Sempa, no sistema agroecológico de produção, no qual o produtor não depende de insumos externos.

“Ele produz seu próprio insumo, tanto na parte sólida, o adubo orgânico com o composto, como a parte líquida, que é o biofertilizante e o bioinseticida. Então, esse trabalho que a gente faz não inclui nada químico-sintético, tudo é orgânico”, pontuou Roçoda.

Luiz Calos assegura que uma produção orgânica, de acordo com a classificação, é uma produção saudável, com a garantia de não inserção de produtos químicos e nem inseticidas.

“Realizamos esse trabalho com o apoio do prefeito Bi Garcia, do vice-prefeito Tony Medeiros e do secretário Edy Albuquerque para fomentar esse tipo de prática nas propriedades rurais periféricas do município”, destacou.

Segundo o agroecologista, a meta é que essa produção venha a suprir a necessidade no município com a finalidade que quebrar a dependência da compra de produtos agrícolas de fora, barateando o produto.

“Esse é um trabalho social, econômico e sustentável que tem a finalidade de trazer renda para o produtor rural familiar. Um trabalho que iniciou dentro da Universidade do Estado do Amazonas, no curso de agroecologia e está sendo colocado em prática em algumas propriedades rurais de Parintins”, frisou.

Luiz informou que o sistema de produção de hortaliças e sistema agroflorestal são sistemas integrados de produção com frutíferas, hortaliças e criação de pequenos animais, produção de mel no sistema de menípolas com abelhas sem ferrão e mel de qualidade excelência.

Fonte: Repórter Parintins

Deixe um comentário