O Site de Notícias de Parintins

Professora da rede estadual participa de projeto da Universidade Federal de Alagoas

Darlinda Monteiro falará sobre Ensino Presencial por Mediação Tecnológica, em live do Instagram

O Amazonas é referência no que diz respeito a Ensino Presencial por Mediação Tecnológica, graças ao trabalho realizado pelo Centro de Mídias de Educação do Amazonas (Cemeam), da Secretaria de Estado de Educação e Desporto. Há 13 anos, o departamento leva conhecimento a milhares de alunos da rede estadual que moram em comunidades e municípios do interior do estado, por meio de tecnologias da informação e comunicação.

Agora, nesta quarta-feira (03/06), a partir das 19h (horário de Manaus), o Brasil inteiro terá a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre esse trabalho graças à participação da professora Darlinda Monteiro, que atua no Cemeam desde o início da sua implantação, em uma live na página QuiCiência (@quicienciaiqb) do Instagram. O perfil é do Grupo de Pesquisa em Ensino e Extensão em Química da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

No bate-papo, Darlinda, que leciona Química na modalidade de Ensino Presencial por Mediação Tecnológica, relatará um pouco da sua experiência como integrante do Centro, explorando os desafios e conquistas diários e, principalmente, o trabalho que vem sendo feito pela Secretaria de Educação com o projeto “Aula em Casa”. Durante a transmissão, a professora irá interagir com o público e responder as principais dúvidas.

Segundo Darlinda, a live do QuiCiência será uma oportunidade para conhecer melhor o trabalho feito pelo Cemeam. “É importante explicar, também, que a modalidade que leciono é 100% presencial. Ou seja, em seus municípios, os alunos vão para uma sala de aula, todos os dias, com um professor presencial e, daqui dos estúdios [do Cemeam], outros dois educadores ministram o conteúdo, ao vivo”, ressaltou a professora.

Darlinda falará, ainda, dos processos para se tornar uma educadora em Ensino Presencial por Mediação Tecnológica e as curiosidades sobre a elaboração de suas aulas. “A preparação para uma aula de Química necessita, geralmente, de quatro etapas: planejamento, revisão e análise do plano de aula, roteirização e produção [de aula] e apresentação em tempo real”, adiantou.

Sobre a professora – Darlinda Monteiro é graduada em Licenciatura em Química, bacharel em Química pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e mestre em Ciências da Educação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, em Portugal.

FOTO: Divulgação

Comentários
Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Saiba mais