Projeto exalta o graffiti em muros de casas
Foto: Divulgação

O lugar de mais de 100 mil habitantes respira diversas vertentes artísticas e trabalhos como o de Alzinney Pereira e Kemerson Freitas, com o ousado Street Art do Curuminz.

Gabriel Ferreira
ACRÍTICA.COM

Dois jovens artistas parintinenses desbravam a poética visual com os murais ao melhor estilo Salvador Dali e Van Gogh pelos ‘cantos’ cinzentos e opacos da Ilha Tupinabarana, cidade mundialmente conhecida pela maior festa folclórica do Brasil, localizada a 370 km de Manaus.

O lugar de mais de 100 mil habitantes respira diversas vertentes artísticas e trabalhos como o de Alzinney Pereira e Kemerson Freitas, com o ousado Street Art do Curuminz. Um projeto com surgimento em 2016 de ideal regional durante oficina de caricaturas e orientação do Professor Edison Macallini, no curso de Licenciatura em Artes Visuais na Universidade Federal do Amazonas-Campus de Parintins.

O conhecimento e a prática andam juntos, e a iniciativa de ambos ‘garotos primorosos’ dos pinceis, latas de tinta, bisnagas para o puro grafiteiro enchem os olhos dos leigos admiradores de seu trabalho não remunerado, mas com um valor artístico memorável.

Por suas referências do Street Art: Eduardo Kobra e Os Gêmeos, enxerga-se ainda mais a grandeza desse estilo novo exposto nos seus murais pela cidade, como por exemplo: As Flores Amazônicas, O maior e mais popular e mural feitos pelos artistas em Parintins.

A mescla do Pop Arte, Surrealismo de Salvador Dali, as linhas de Van Gogh, o colorido de Eduardo Kobra, e o cotidiano captado através do trabalho de OSGêmeos dão o tom regional amazônico e a inspiração para a Obra de Arte dos Curuminz.

Começo e novos desafios

“Vocês vão pichar é?” A dureza e a ignorância enfrentada pelos grafiteiros e artistas diversos ainda é aparente, e durante entrevista os dois jovens apontam como o trabalho diferenciado feito por eles em uma cidade vivida da arte, rompe os paradigmas mancomunados na sociedade.

Deixar o tradicional da pintura em tela e a buscar o aprimoramento do novo em um âmbito solene amazônico é um desafio vencido dia a dia por Alzinney Pereira e Kermerson Freitas.

Outra batalha a ser vencida é a busca do trabalho itinerante da arte desses jovens para outras cidades da região do Baixo Amazonas. O Street Art além de ser um meio conceituado na arte urbana, valoriza o lugar onde se desenvolve este viés.

“O grafite dá acesso a arte, pois não existe galeria na nossa cidade e na região”. A fala de Kemerson Freitas apresenta uma problemática pertinente e irônica em um lugar culturalmente conhecido por respirar um universo artístico e folclórico. A cidade de Parintins apenas conta com uma galeria de pinturas em tela e desenhos no Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro.

O Street Art desenvolvido por essa dupla vai além do potencial artístico, pois revela a necessidade do investimento nesse quesito e leva para a população o conhecimento deste seguimento. A urbanização da arte pode também pode combater o vandalismo causado por pichações sem qualquer expressão artística.

O trabalho realizado pelo Curuminz é amparado pelo o artigo 65 da Lei constitucional 9605/98,O parárafo nº 2, aponta que: Não constitui crime a prática de grafite realizada com o objetivo de valorizar o patrimônio público ou privado mediante manifestação artística, desde que consentida pelo proprietário e, quando couber, pelo locatário ou arrendatário do bem privado e, no caso de bem público, com a autorização do órgão competente e a observância das posturas municipais e das normas editadas pelos órgãos governamentais responsáveis pela preservação e conservação do patrimônio histórico e artístico nacional. (Incluído pela Lei nº 12.408, de 2011).

A reflexão sobre a diferença entre a pichação e o grafite (Street Art) é importante para a aproximação deste universo a todos.

Mensagem

“Nós queremos levar essa arte às pessoas, apresentar o novo. É basicamente isso que a gente quer propor, com essa ideia.” Com um estilo próprio e busca do novo através do retrato do cotidiano parintinense, os dois Curuminz vão além do amor pela arte, com objetivos concretos podem alcançar inúmeros caminhos sociais e artísticos, pois sabemos que esse itinerário pode ultrapassar diversas barreiras.

A busca pelo incentivo a novas pessoas para o Street Art é uma meta a ser alcançada por este projeto, com a visão de difundir ainda mais este segmento artístico, como por exemplo: realizar mutirão com amantes da arte e grafiteiros para desenvolver oficinas sobre o grafite para os lugares mais pobres do município e buscar a diminuição da ociosidade dos jovens.

Comentários