Projetos ambientais e de infraestrutura apoiados pelo Governo visam transformar Silves em polo turístico

O município de Silves (a 204 quilômetros de Manaus) se prepara para fortalecer sua produção sustentável e revitalizar espaços na cidade, com a perspectiva de se tornar um polo turístico. Neste mês, a localidade está recebendo uma equipe técnica da Companhia de Desenvolvimento do Amazonas (Ciama), com o objetivo de estruturar projetos em áreas diversas, como economia, sustentabilidade e infraestrutura, a fim de permitir ao município captar recursos por meio de editais e em fontes financiadoras.

A equipe da Ciama, formada por uma socióloga, um economista e dois engenheiros, visitou algumas áreas definidas pelo prefeito Paulino Granja como prioritárias. Os projetos a serem elaborados pela Ciama não terão custos para o município.

“Temos aqui alguns projetos de meio ambiente urgentes, como o de uma base de fiscalização flutuante em dois principais lagos que possuem pesca manejada, e também projetos de revitalização da praça do Cristo, do anfiteatro e da pista de pouso do nosso município”, detalhou o prefeito.

Para o engenheiro Márcio Bemfica, a revitalização da praça do Cristo é um projeto que vai, sem dúvida, atrair não só os moradores da cidade mas também, e principalmente, os turistas.

“A praça do Cristo já é um observatório natural da frente da cidade porque está localizada no final de uma escadaria, mas a ideia é elevar o monumento ainda mais e ter ali um mirante moderno, com um serviço de apoio a turistas e que conte com a participação dos moradores do local nesse apoio aos visitantes”, acentuou Bemfica.

De acordo com a socióloga Cira Sena, que liderou a equipe da Ciama, as áreas de manejo do pirarucu e de outras espécies, concentradas nos lagos Purema e Piramiri, necessitam de uma base de fiscalização.

“O que a experiência da comunidade revelou é que, para o manejo funcionar de verdade, é preciso uma base segura de vigilância, e a Secretaria de Meio Ambiente nos pediu um projeto de um flutuante com uma estrutura de dormitórios, banheiros e lanchas que possam percorrer os lagos nos períodos em que não se pode pescar e também atuar na educação ambiental”, explicou, acrescentando que a energia elétrica da base flutuante também deverá ser toda obtida por meio de placas de energia solar..

A equipe também visitou e fez registros fotográficos da pista de pouso e decolagem de aviões de pequeno porte, que necessita de trabalhos de revitalização para ser autorizada a funcionar. O aterro sanitário da cidade, a céu aberto, é outro espaço em busca de soluções.

“Queremos elaborar um plano de coleta de resíduos sólidos para minimizar o impacto do lixo no nosso meio ambiente, e pensamos em começar esse esforço implantando a coleta seletiva e a instalação de uma ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) em uma escola municipal”, disse o prefeito.

Silves é uma ilha e tem acesso a partir da capital pela rodovia estadual AM-010, em trajeto com duração aproximada de cinco horas, e travessia de balsa pelo rio Urubu.

FOTO: Divulgação/Ciama