Parintins Notícias

A Operação Aceiro 2023 combateu entre 12 de julho e 21 de novembro, 2.074 incêndios no interior do estado. A missão, que é coordenada pelo Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM), está com a quinta fase em andamento e já enviou, ao longo do verão amazônico, reforço de efetivo para 25 municípios do interior.

“Nossos bombeiros estão sendo incansáveis desde o início do verão amazônico, quando reforçamos o combate aos incêndios, que apresentaram aumento este ano, por conta da severa estiagem e pelos efeitos do fenômeno climático El Niño. Neste mês de novembro já temos acompanhado uma redução nos focos de incêndio, mas o Corpo de Bombeiros segue com a execução da operação”, destacou o comandante-geral do CBMAM, coronel Orleilso Muniz.

O plano de ação da Aceiro integra a Operação Tamoiotatá – uma força-tarefa que reúne órgãos de Segurança Pública e de Meio Ambiente na repressão de crimes ambientais. O combate operacional da Aceiro é composto por bombeiros militares, brigadistas municipais e agentes da Força Nacional.

Abrangência operacional

Na primeira fase, a Aceiro fez o envio de tropas aos cinco municípios da região sul do Amazonas, que representavam os maiores focos de incêndio, sendo eles Apuí, Boca do Acre, Humaitá, Lábrea e Manicoré. Ao longo das fases seguintes, a operação foi ampliada passando a abranger 25 cidades do interior com maiores índices de ocorrências deste segmento.

Ao longo das cinco fases, o CBMAM já atuou com reforço de efetivo nos municípios de Apuí, Autazes, Boca do Acre, Borba, Canutama, Careiro Castanho, Careiro da Várzea, Humaitá, Iranduba, Itacoatiara, Itapiranga, Lábrea, Manacapuru, Manaquiri, Manicoré, Maués, Nhamundá, Novo Airão, Novo Aripuanã, Parintins, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Silves, Tabatinga e Tefé.