Parintins Notícias

O fruto é um dos hospedeiros da praga quarentenária Mosca-da-Carambola e tem entrada proibida no Amazonas

A Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) apreendeu, nesta sexta-feira (14/06), 11 toneladas de manga, na Barreira de Vigilância Agropecuária (BVA) de Jundiá, no município de Rorainópolis, em Roraima. O fruto é hospedeiro da praga quarentenária mosca-da-carambola e tem entrada proibida no Amazonas.

O material irregular foi apreendido durante duas abordagens de rotina distintas. O primeiro carregamento, com 1,6 toneladas de manga, estava sendo transportado em um caminhão baú e tinha como origem a cidade de Mucajaí/RR. A segunda carga, com 9,5 toneladas do fruto estava em outro caminhão e havia saído da cidade de Boa Vista (RR)

Ambas as cargas tinham a capital amazonense como destino. Após constatada a irregularidade, os fiscais da Adaf lavraram o termo de fiscalização para a respectiva apreensão da carga, logo após a carga apreendida foi repassada para a Agência de Defesa Agropecuária de Roraima/Aderr através do Termo de Cooperação Técnica firmado entre a Adaf-AM e Aderr.

A fiscalização contou com o apoio do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), da Agência de Defesa Agropecuária de Roraima (Aderr), da Polícia Militar e da Secretaria de Estado da Fazenda do Amazonas (Sefaz).

O Gerente de Defesa Vegetal da Adaf, Sivandro Campos, explica que a apreensão realizada pelos servidores da Adaf durante a fiscalização do trânsito de vegetais na Barreira de Jundiá/RR tem como objetivo proteger o patrimônio vegetal do Amazonas e a fruticultura do Estado que atualmente não possui a presença da praga mosca-da-carambola em seu território.

“Os servidores da Adaf compromissados em resguardar a produção das mais de 30 espécies hospedeiras da mosca-da-carambola estão atuantes nas Barreiras Interestaduais com o propósito de impedir a entrada de frutos hospedeiros da Praga no Estado do Amazonas”, afirma o especialista.

Desde abril de 2023, Roraima foi declarada pelo Mapa, por meio da Portaria nº 780, como área sob quarentena para a praga Bactrocera carambolae (mosca-da-carambola). Isso impede que o estado vizinho escoe frutos hospedeiros para outras unidades da federação.

No Amazonas, uma das estratégias de prevenção à mosca-da-carambola é o monitoramento de armadilhas tipo Jackson, nas cidades de Nhamundá e Parintins (distantes 383 e 369 quilômetros de Manaus, respectivamente). Trabalho que se soma à promoção de ações de Educação Sanitária e à realização de fiscalizações do trânsito de vegetais nas barreiras.

A praga

A mosca-da-carambola é uma praga que não oferece risco à saúde das pessoas, mas representa uma grave ameaça à economia do Brasil, com potencial para inviabilizar a fruticultura nacional. Ela está presente em Roraima, no Pará e no Amapá.

A praga ataca mais de 30 espécies, como manga, goiaba, tomate, acerola, pimenta-de-cheiro, laranja e carambola, entre outras.

A mosca-da-carambola tem 8mm de comprimento, tem a parte superior do tórax de cor escura e o abdome amarelo, com listras pretas que se encontram formando um “T”.

Qualquer suspeita sobre a existência da praga deve ser imediatamente comunicada à Adaf. Denúncias podem ser reportadas à Gerência de Defesa Vegetal (GDV) pelo AdafOuv no número (92) 99380-9174.