Parintins Notícias

Evento tradicional do Garantido parou a cidade com milhares de torcedores tingindo a ilha de vermelho e branco

Que seria uma noite de muita emoção e festa, o torcedor já tinha certeza. Mas os fatos que se seguiram em mais de dez horas de festa fizeram da Alvorada 2023 uma das maiores e mais marcantes já realizadas na história do Boi Garantido. A festa começou na Cidade Garantido, com Batucada, todos os itens individuais, levantadores de toadas, torcida oficial e grupos de dança. Força total para receber milhares de torcedores, grande parte visitantes que lotaram hotéis, esgotaram passagens de barco e avião e movimentaram a economia da cidade, mais uma vez.

Edilson Santana, Márcia Siqueira, Leonardo Castelo, Márcia Novo e Sebastião Júnior, no time de levantadores. Israel Paulain Comandando. Isabelle Nogueira (cunhã-poranga), Edilene Tavares (rainha do folclore), Lívia Christina (porta-estandarte), Valentina Coimbra (sinhazinha), João Paulo Faria (amo do boi) e Adriano Paketá (pajé) estavam lá. O público recebeu o boi branco da baixa do São José em clima de arena de Bumbódromo.

A primeira parte da programação terminou por volta das duas da madrugada. Era hora de sair a pé em direção à catedral. Mal começou a caminhada e o primeiro susto. Uma pane no motor gerador parou o trio elétrico. O público chamou pra si a responsabilidade e foi no “gogó”, ao som da Batucada, sem esmorecer, que o povo perreché segurou a animação. Dava até pra lembrar os tempos em que mestre Lindolfo puxava os versos, sob a luz de lamparinas, com a força da garganta. E a Alvorada de verdade estava apenas começando.

A pane foi resolvida e o trio elétrico seguiu o trajeto. Aí, veio a chuva, querendo atrapalhar, mas o embalo já estava na força da correnteza, não tinha como parar mais, rumo à Catedral de Nossa Senhora do Carmo, padroeira de Parintins. Mesmo com as ruas ainda encharcadas com a água da chuva, a multidão encarnada caminhou por mais de quatro horas na madrugada, ao embalo do ritmo propulsor da Batucada, fazendo jus ao slogan “ritmo, cadência e tradição”.

No alto do trio elétrico “Carruagem de Fogo” as vozes dos toadeiros do boi do povão ditavam o embalo da nação vermelha e branco durante todo o percurso, em um revezamento entre o levantador de toadas Sebastião Júnior, o apresentador Israel Paulain, o amo do boi João Paulo Faria, Leonardo Castelo e Márcia Novo.

No chão, torcedores se misturavam com os itens oficiais que não demonstravam nenhum sinal de cansaço. Os integrantes da torcida oficial Comando Garantido foram os encarregados de orientar os movimentos de braços e a vibração do público vermelho.

A emoção tomou conta

As cenas emocionantes se multiplicavam a cada metro mais perto da Catedral. Já na avenida Amazonas, a principal da cidade, os visitantes, em especial, fizeram festival de selfies. Eram momentos muito especiais para não serem registrados para a posteridade.

Especial também para o levantador oficial do Garantido, Sebastião Júnior. “Foi a melhor Alvorada de todos os tempos. Nós já esperávamos isso quando no ensaio geral o curral ficou lotado. Então, mais uma vez nós provamos que a Alvorada é o segundo maior evento de Parintins, depois do Festival Folclórico, todo mundo sabe disso. A nossa nação vermelha e branca está de parabéns, e até o povo do contrário que esteve presente em massa também, são muito bem-vindos, porque o Garantido é isso: a essência, a tradição, a raça e em 2023 é Garantido, por toda vida”, disse o levantador de toadas Sebastião Júnior.

A chegada inesquecível

O domingo do 1º de maio já estava clareando quando a multidão chegou à catedral. O azul do céu chuvoso, mais uma vez, foi apenas coadjuvante para o vermelho e branco que tomou conta do centro da cidade. O boi Garantido dançou em frente à igreja, saudando Nossa Senhora do Carmo e pedindo bênçãos à padroeira. Ninguém tinha arredado o pé e todo mundo se emocionou com a toada Boi do Carmo (Chico da Silva), cantada na hora da chegada.


Em frente à igreja o boi de pano evoluiu para o delírio dos torcedores, tendo como responsáveis pelos movimentos reais do bumbá os tripas oficiais Denildo Piçanã, Arnaldo Barbosa (Buba) e Raimundo Batista.

Para o presidente do Garantido, Antônio Andrade, é por essa demonstração de determinação e superação dos torcedores apaixonados do Boi da Baixa do São José que eleva a Alvorada do Garantido como uma das brincadeiras mais populares e de maior participação de público, antes das três noites de apresentação da arena do Bumbódromo.

“A superação é uma das marcas do povo encarnado. Isso fica evidente a cada novo desafio, como ocorrido nesta madrugada, que foi uma das maiores Alvoradas. A nação encarnada brincou de boi-bumbá nas ruas de Parintins até o sol raiar com a concentração na Catedral de Nossa Senhora do Carmo, padroeira de Parintins”, pontuou Andrade.

Inesquecível


Acostumado a emocionar e surpreender o povo perreché, quem ficou emocionado e prazerosamente surpreso foi o apresentador Israel Paulain. Para Israel, a chuva veio lavar muito mais que as ruas da cidade.

“Estou de alma lavada. Eu estou extasiado. Minha voz rouca é de emoção pura da nossa galera que enfrentou chuva, não arregou, chegou até na Catedral mais de sete e meia da manhã, e cumpriu a tradição. Isso é clima de vitória. O Garantido está unido, forte, gigante, impactante, emocionante. A galera cantando as toadas do álbum deste ano, já na memória e no coração, isso faltando um mês e meio para o festival. Então, a gente está muito feliz porque a Alvorada foi o reflexo disso. Todo mundo que veio de fora, o povo que veio do Brasil inteiro, chegou até o sol raiar na Catedral cantando as nossas toadas”, frisou Paulain.

Torcida distante ficou feliz

A Alvorada foi transmitida pelo canal oficial do Boi Garantido na plataforma YouTube, no perfil do Instagram e pela rádio Clube de Parintins. Foi um prêmio de consolo ao torcedor distante que não pode comparecer. Tanto que a transmissão bateu mais de 14 mil visualizações. Levando em consideração a lotação da Cidade Garantido e o tamanho do cortejo na extensão da Avenida Amazonas, a organização do evento calculou em cerca de 35 mil pessoas participando.

Tradição

De acordo com a tradição, a Alvorada também é uma homenagem a São José Operário, um dos padroeiros do bumbá. O santo encerra sua programação na noite deste dia 1º de maio, Dia do Trabalhador, com um show folclórico do Boi Garantido.

Foto: Élcio Farias