Parintins Notícias

Na segunda noite de ensaio geral no Parque do Ingá, em Manacapuru (distante a 68 quilômetros de Manaus), ontem (29/08), a Ciranda Guerreiros Mura mostrou uma prévia do espetáculo que será encenado no próximo sábado (02/09). Ocupando toda extensão da arena, os cirandeiros tiveram o reforço da torcida, que interagiu e compartilhou a empolgação com a proximidade do 25º Festival de Cirandas de Manacapuru, a ser realizado nos dias 1º, 2 e 3 de setembro.

Na arena, ainda sem o cenário que vai representar o tema “Urhi, Terra-Floresta”, a Nação Mura usou e abusou de coreografias, contou com a participação dos itens oficiais, além do Cordão de Entrada, Cordão de Cirandeiros e da Tocata Tribal Mura. Com a responsabilidade de narrar as duas horas e meia de espetáculo, o apresentador Ivan Oliveira mostrou segurança e elencou os pontos de atenção.

“Não podemos errar a temática, os 14 itens e a representatividade de cada um dentro da temática, alegoricamente precisa saber de cada uma, então o apresentador precisa estar ligado e qualquer vacilo toda ciranda vai por água abaixo”, reconhece o artista.

Apesar do roteiro original repassado no ensaio, as devidas surpresas foram mantidas em sigilo. Contudo, a abertura promete emocionar, resgatando a cultura dos povos originários, momento que será interpretado por Úrsula Freitas, acompanhada pelo pequeno Enzo. “Vamos representar a tribo Guerreiros Mura que vai abrir o espetáculo para mostrar o encanto e a magia que vai acontecer na ciranda”, disse a estreante no Cordão de Entrada.

Atento a cada detalhe, o presidente da Guerreiros Mura, Renato Teles, acompanhou a apresentação, e gostou do que viu. “Nós nos preparamos o ano todo para chegar aqui. O grupo cresceu, investiu, traz um tema muito bom e, com certeza, sairá em busca do título”, revela Teles.

Os itens oficiais, todos presentes e com os figurinos de ensaio, entraram na arena com a mesma empolgação que será dedicada à noite oficial. A torcida vai em busca do troféu de Melhor Torcida de 2023. Por isso, o ensaio também se estendeu à arquibancada. Gritos de guerra, luzes para interagir com os cirandeiros e uma bandeira nas cores vermelho, azul e branco foram um show à parte.

“Dá um frio na barriga, mas sentir o calor dessa nação maravilhosa é muito importante. E no ensaio geral, damos uma pequena palhinha do grande espetáculo que está sendo preparado no decorrer do ano”, finaliza Jéssica Alencar, a Princesa Cirandeira.

FOTO: Marcio James/Secretaria de Cultura e Economia Criativa