Parintins Notícias

Em parceria com o Idesam, cunhã poranga Marciele Albuquerque, do boi Caprichoso, irá plantar árvores para compensar suas emissões de carbono pelo período de seis meses

Marciele Albuquerque Cunha Poranaga do boi Caprichoso | Item pela Amazônia Viva Idesam
Marciele Albuquerque Cunha Poranaga do boi Caprichoso | Item pela Amazônia Viva Idesam

Mais de 120 mil pessoas devem passar pelo Festival Folclórico de Parintins, que acontece entre os dias 28 e 30 de junho. Como um verdadeiro símbolo da Amazônia e uma das manifestações culturais mais importantes do Brasil, o Festival também é uma importante ferramenta de promoção e conscientização ambiental. Pensando nisso, Marciele Albuquerque, cunhã poranga do boi Caprichoso, realiza o processo de carboneutralização de suas atividades item oficial. A iniciativa é realizada em parceria com o Idesam (Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia), que também realizará outras ações de conscientização do público durante o Festival.

Por meio do Projeto Carbono Neutro (PCN), o Idesam está medindo as emissões de Gases do Efeito Estufa (GECC) de Marciele desde janeiro até o término do Festival. O inventário das emissões contempla consumo de energia elétrica e deslocamentos terrestre e aéreo. A estimativa é que o trabalho seja concluído no mês de julho. 

O plantio acontecerá na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã, localizada no interior do Amazonas. O diferencial da iniciativa é a técnica de produção utilizada, o Sistema Agroflorestal (SAF). Ele consiste na criação de um espaço produtivo o mais parecido possível com uma floresta original, combinando diferentes espécies agrícolas e florestais. As mudas serão plantadas em propriedades de famílias parceiras do Idesam, levando diversidade alimentar e gerando renda. 

“Minha relação com a natureza vem de casa, aprendi com minha família. Eu sou filha da terra, sou munduruku e a Amazônia me inspira! Este ano, minha parceria com o  Idesam tem algo que cabe no momento que estamos vivendo, de emergência climática: ser o primeiro item carbono neutro do Festival de Parintins é minha evolução dentro e fora da arena. Com esse tipo de ação, todos saem ganhando”, destaca Marcielle Albuquerque.

Com mais de uma década de atuação na RDS do Uatumã, o Idesam já plantou 50 mil árvores, neutralizando aproximadamente 10 toneladas de carbono (tCOe) com a restauração de 65 hectares (ha). O Projeto ainda conta com a parceria de 40 famílias.

“O CO2 desempenha um papel importante para que exista vida no planeta, mas quando liberado em excesso causa efeitos devastadores e um desses efeitos são as mudanças climáticas. Nosso objetivo é conectar pessoas à floresta por meio do plantio de árvores, tornando possível que elas se responsabilizem pelo impacto causado ao planeta”, afirma Kate Guimarães, coordenadora do Projeto Carbono Neutro do Idesam. 

Atualmente o PCN conta com três modalidades de parceria: calculadora no site, voltada para pessoa física; inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), voltado para pessoa jurídica; e plantio voluntário, voltado para ambos. O inventário de GEE é o cálculo organizado para Marciele. Para isso, é utilizada uma ferramenta de cálculo adaptada ao contexto brasileiro pelo Programa Brasileiro GHG Protocol. Neste processo, primeiro são levantadas as emissões, em seguida é feito o cálculo com o total estimado para, consequentemente, identificar a quantidade de árvores a serem plantadas.

Cada árvore plantada pelo Idesam pode ser rastreada na plataforma de plantio disponível no site da organização. Além de garantir o pleno desenvolvimento das mudas ao longo do tempo, sabe-se exatamente onde a árvore foi plantada e qual é a família parceira da iniciativa. 

Cunha Poranga Caprichoso Marciele Albuquerque Fotos Thiago Yawanawa
Marciele Albuquerque Cunha Poranaga do boi Caprichoso

Sobre o Idesam

O Idesam é uma ONG amazonense com atuação na Amazônia Legal desde 2004 e trabalha pela conservação e desenvolvimento sustentável da Amazônia e suas populações. Possui a qualificação de Organização Social de Interesse Público (Oscip) e possui o reconhecimento como uma das 100 melhores ONGs do Brasil em 2022 e como a melhor organização ambiental da Região Norte pelo prêmio Melhores ONGs 2020. Recebeu o Prêmio Empreendedor Social 2022, promovido pela Folha de S. Paulo e Fundação Schwab, na categoria ‘Inovação e Meio Ambiente’; e é credenciado como ator da Década das Nações Unidas da Restauração de Ecossistemas (2021-2030). Coordena as iniciativas Amaz Aceleradora de Impacto, Inatú Amazônia, Café Apuí Agroflorestal, Programa Carbono Neutro, Programa Prioritário de Bioecocomia e Observatório BR-319.Para saber mais, acesse: www.idesam.org