Parintins Notícias

Parintins Notícias
Facebook
Twitter
WhatsApp

O Dia Nacional do Idoso e o Dia Internacional da Terceira Idade foram comemorados, no domingo (1º/10), com o intuito de sensibilizar a sociedade sobre os direitos, deveres e as necessidades desse público no cotidiano. E para reforçar esse compromisso de valorização da pessoa idosa, o Governo do Amazonas dispõe de políticas públicas que buscam a promoção da qualidade de vida, por meio de estruturas que garantem lazer e apoio à saúde dos idosos no estado.

A Fundação Universidade Aberta da Terceira Idade (FUnATI), localizada no bairro Santo Antônio, zona oeste de Manaus, atua como um centro de referência de ensino, pesquisa, extensão e assistência à saúde, voltado para questões relacionadas ao envelhecimento e na formação de recursos humanos especialistas na área de Gerontologia e Saúde do idoso.

“Envelhecer só vale a pena se envelhecer com qualidade. E para ter habilidade no envelhecimento, é necessário dormir adequadamente, fazer exercícios, fazer dieta rica em nutrientes”, disse o reitor da FUnATI, Euler Ribeiro.

A fundação, que existe há 16 anos, é referência nas pesquisas sobre o envelhecimento e longevidade. “Ao longo desses anos, estamos trabalhando esses assuntos, assim com os cuidados no envelhecimento com alterações como obesidade, diabete, hipertensão. Temos uma policlínica que cuida dos nossos idosos que são nossos alunos, além de cursos que trabalham o estímulo da memória”, destacou o reitor.

Na instituição, diversas atividades esportivas e sociais são realizadas semanalmente para a população, como caminhadas, lutas, aulas de informática, canto, entre outras. Quem participa, tem alegria de sobra para contar os benefícios em suas vidas.

“Tenho mais alegria, mais amigos. As horas passam que nem sentimos. Aconselho as outras pessoas que não fazem atividade, para que façam. Eu venho cedo para o centro, e sou muito feliz aqui”, afirmou a aposentada Maria Zenaide, 73, que faz caminhada orientada.

Praticante da arte marcial Tai Chi Chuan, a aposentada Marlene Lima, 74, relatou que teve melhorias em sua memória. “Melhorou muito a minha memória, porque na minha idade temos muito esquecimento. Assim como melhorei, também, muito no meu físico, pois eu me sinto muito bem de saúde. Eu incentivo outras pessoas a participarem porque é muito”, enfatizou Marlene.

Bem-estar

No Centro de Convivência do Centro de Convivência do Idoso (Ceci), no bairro de Aparecida, zona sul de Manaus, os idosos participam de atividades esportivas, culturais, de lazer, serviços e projetos de acolhimento, convivência e socialização.

A unidade, que completou 15 anos de existência no mês de setembro, é administrada pela Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), que também coordena outros centros de convivência na cidade com atividades voltadas para a inclusão social de idosos.

O local conta com piscina climatizada para hidroginástica, sala de musculação, salas de multiuso, cine teatro, dança, leitura, oficinas de beleza e estética, culinária e nutrição, laboratórios para inclusão digital, cineteatro, consultório médico e fisioterapêutico, atendimento social e psicológico, área de recreação, pista de caminhada.

O autônomo Alessandro Monteiro, 50, participa do grupo de convivência “Criative-se”, em que são desenvolvidos projetos culturais. “São atividades que fazem as pessoas terem qualidade de vida. Tivemos essa ideia de apresentações a partir de outras ideias que são faladas no grupo, e isso faz muito bem para nossas vidas”, destacou Alessandro.

A aposentada Neila Rita, 66, é frequentadora desde a fundação do Ceci Aparecida, e o considera como sua segunda casa. “O Ceci é tudo para mim. Essa é minha segunda casa, pois eu me adaptei muito bem, e participo da dança, faço hidroginástica e do grupo de convivência ‘futuro melhor’. Eu chego, às vezes, com probleminhas, mas aqui esqueço tudo. Sou muito feliz, graças a Deus”, declarou Neila Rita.

Relacionados