Parintins Notícias

Com o objetivo de fomentar a cadeia produtiva e promover a disseminação de conhecimentos entre pesquisadores, técnicos, estudantes e agricultores, o Governo do Amazonas, por meio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), realizou, nesta terça-feira (19/10), o Dia de Campo do Abacaxi na Vila do Engenho, no município de Itacoatiara (a 176 quilômetros de Manaus).

O abacaxi cultivado no município é reconhecido com o Selo de Indicação Geográfica (IG), na categoria Indicação de Procedência. Além disso, Itacoatiara responde por mais de 50% da produção desse fruto, o que justifica a realização do Dia de Campo na Vila do Engenho.

Na abertura do evento, o diretor-técnico do Idam, Radson Alves, além de destacar o papel de Itacoatiara na produção de abacaxi, reforçou a importância do Dia de Campo para o fortalecimento da produção do fruto no Amazonas.

O Dia de Campo é uma metodologia que irá expandir o conhecimento dos produtores dessa região. É uma parceria que já deu certo entre Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Instituto Federal do Amazonas (Ifam) e o Idam, na ponta exercendo a assistência técnica e extensão rural”, disse o diretor.

O Dia de Campo foi realizado na Fazenda Nova Esperança, arrendada pelo agricultor Manoel Cavalcante, que cultiva abacaxis há 17 anos no local. Participante da ação, ele agradeceu ao Idam pela iniciativa.

“Atuo há 17 anos na cultura do abacaxi e posso afirmar que, neste Dia de Campo, tenho mais a aprender do que a ensinar”, pontuou Cavalcante, cuja propriedade conta com mais de 500 mil plantas.

A propriedade possui aproximadamente 500 mil plantas. O agricultor relata que sua produção é comercializada diretamente por ele e, também, por atravessadores e revendidos no estado de Roraima.

Patrimônio

Além do Selo de Indicação Geográfica (IG), o abacaxi produzido no Novo Remanso e Vila do Engenho, em Itacoatiara, é considerado Patrimônio de Natureza Imaterial do Amazonas, um reconhecimento ao sabor adocicado, a baixa acidez e ao valor de mercado diferenciado conquistado pelos produtores rurais.

Abacaxi no Amazonas

“No ano de 2022, o Amazonas produziu mais de 67 toneladas de frutos, incentivado pela assistência técnica e extensão rural oferecida gratuitamente pelo Idam aos produtores. A cultura do abacaxi está incluída nos Projetos Prioritários, tendo como área de abrangência os municípios de Careiro, Careiro da Várzea, Itacoatiara (Novo Remanso e Vila do Engenho), Manaus e São Gabriel da Cachoeira.

Segundo o Relatório de Atividades do Idam de 2022 (Raidam, 2022), o estado participa com 2,68% da produção nacional e 7,73% da produção da região norte, posicionando-se como terceiro maior produtor de abacaxi do norte do Brasil (IBGE – PAM/2021).

A atividade gera ocupação econômica e renda para mais de 3.500 agricultores familiares e produtores rurais, sobretudo nos municípios de Itacoatiara e Careiro da Várzea, que contribuem com aproximadamente 64% da produção do estado e despontam como os maiores produtores.