Parintins Notícias

Entre as principais novas tecnologias está a recuperação de áreas degradadas, uma conquista para a pecuária

Sepror agrega novos métodos de produção Pecuária Sustentável em dia de campo da Embrapa

Profissionais da Secretaria de Estado da Produção Rural do Estado do Amazonas (Sepror), participaram, nesta sexta-feira (07/06), do Dia de Campo da Pecuária Sustentável, realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias (Embrapa), no Rancho Paraíso da Genética, no km 72 da Rodovia AM-070, em Manacapuru (distante a 57 quilômetros de Manaus).

O objetivo foi receber novas tecnologias para posteriormente repassar aos produtores do estado.

De acordo com João Bosco Rubim, técnico da Sepror, os novos conhecimentos trazidos pela Embrapa, farão a diferença na vida de todos os pecuaristas do Amazonas, que de acordo com o Censo Agropecuário de 2017 possui 14.600 criadores. Atualmente, conforme dados da Agência de Defesa Agropecuária Florestal do Amazonas (Adaf), o rebanho bovídeo do estado é de 2.552.176.

“As novas tecnologias têm apresentado muitas possibilidades para os amazonenses. Eventos como esse são fundamentais para o fortalecimento dessa cadeia produtiva de gado”, diz Rubim.

Dividido em quatro estações, o Dia de Campo da Pecuária Sustentável abordou diversos assuntos, condensados em temáticas que garantem melhor eficiência em algumas das principais etapas de criação de animais.

“Nosso dia de campo é para transferência de novas tecnologias. Com nossas pesquisas, estamos desmistificando a criação de gado na Amazônia. É possível, é seguro, é rentável e tudo isso sem precisar desmatar absolutamente nada, apenas com novas e comprovadas práticas”, garante Luiz Cruz, chefe de transferência de tecnologias da Embrapa.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (Faea), Muni Lourenço, acompanhou as palestras em todas as estações e se posicionou com entusiasmo, com as novas informações que recebeu.

” Nos diversos assuntos esplanados vi possibilidades de grande eficiência técnica, eficiencia na produção, eficiência econômica e principalmente na questão ambiental. Excelentes abordagens que fortalecem nossos produtores”, elogiou Muni.

Resumidamente todos os participantes aprenderam sobre Recuperação e Manejo de Pastagem, Melhoramento Genético, Sanidade Animal e Implantação de Capineira e Produção de Silagem, este último em trabalho desenvolvido com Capim Gigante, regionalmente chamado de Capim Açu. Entre os participantes, uma comitiva de 21 alunos e dois professores da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), do curso de Zootecnia.

“Nas salas de aula temos a teoria e acreditamos na importância desse aprendizado na prática, em campo. Essas atividades comprovam o crescimento do Amazonas na pecuária, abrindo muitas oportunidades profissionais para nossos alunos”, explicou a professora da Ufam, Kaliane Nascimento Oliveira.

Romualdo Ramos, Secretário Municipal de Produção Rural E Abastecimento de Manacapuru (SEMPRA) deu ênfase ao reaproveitamento de áreas degradadas para utilização na pecuária. “Além de desmistificar a produção de gado como responsável por desmatamento, a Embrapa nos mostra que é possível recuperar e reaproveitar áreas degradadas. Além de tudo a pecuária passa a contribuir significativamente com a natureza”, finalizou Romualdo.

O Dia de Campo da Pecuária Sustentável da Embrapa foi concluído com uma visita à fazenda Nilton Lins, no km 69, da Am Rodovia Manuel Urbano, a ideia da Embrapa e órgãos parceiros é ampliar novas edições dessas atividades em outras regiões do Amazonas como a Região Sul, Alto Solimões ou Baixo Amazonas.