Parintins Notícias

O evento reúne representantes de 20 países membros do grupo e autoridades nacionais

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) montou uma estrutura especial de retaguarda para atendimento, se necessário, dos participantes das reuniões do G20, evento que ocorre pela primeira vez em Manaus, reunindo os países detentores das maiores economias do mundo. As reuniões iniciaram nesta segunda-feira (17/06) e seguem até sexta-feira (21/06), no Centro de Convenções Vasco Vasques, na avenida Constantino Nery, bairro Flores, zona centro-sul.

Os membros do G20 encontram-se, anualmente, para discutir iniciativas econômicas, políticas e sociais. Em Manaus, o evento reúne representantes de 20 países membros e 11 convidados. No local das reuniões, a SES-AM colocou uma ambulância de plantão, com Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e instalou um ambulatório com 10 profissionais de saúde.

De acordo com a secretária de Estado de Saúde, Nayara Maksoud, a operação também envolve o deslocamento de pacientes, se necessário, para o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, que está como referência para atendimento, pela localização próxima ao evento, além de Unidades Básicas de Saúde (UBSs). “As ações da SES-AM, durante as reuniões do G20, foram organizadas em conjunto com o governo federal, com o intuito de prestar toda assistência necessária para as autoridades que participam do evento no Amazonas”, explicou a secretária.

Na quarta-feira (19/06), o encontro contará, ainda, com a presença de várias autoridades brasileiras, como a ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva, o secretário de Clima, Energia e Meio Ambiente do Itamaraty, Corrêa do Lago, entre outros.

Segundo a secretária-executiva adjunta de Assistência da SES-AM, Mônica Melo, o posto de atendimento instalado no Vasco Vasquez dispõe de uma equipe capacitada para atender em casos de mal-estar, pressão alta, até situações mais graves que necessitem de reanimação. “Nossa equipe está de prontidão e ficará monitorando as ocorrências relacionadas à saúde, 24 horas “, ressaltou.