Parintins Notícias

A manhã desta sexta-feira (1º) foi de realização para três candidatos aprovados no concurso público realizado em 2021 pelo Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM). Na presença do conselheiro-presidente Érico Desterro, os aprovados Alexander Cavalcante, Monaliza Lima e Paulo de Sena assinaram o termo de posse e agora poderão iniciar os trabalhos na Corte de Contas amazonense.


Residentes de Manaus, os três novos servidores irão atuar nos cargos de auditoria governamental e, no caso de Paulo de Sena, na área de Tecnologia da Informação. A chegada deles elevou o número total de empossados via concurso público para 85, sendo 45 acima do número original de vagas, que era de 40.

“Desejo boa sorte nos desempenhos de suas respectivas funções. Todos vocês encontrarão no Tribunal de Contas um ambiente propício para que o trabalho seja feito de forma bem organizada e estruturada, para além da remuneração que em si também é muito boa. Portanto, após os parabéns, agora desejo a todos um excelente início de trabalho”, destacou o conselheiro-presidente Érico Desterro ao assinar os termos de posse.

Questionado sobre a sensação de adentrar no quadro de servidores do TCE-AM, Paulo de Sena dedicou a conquista para a sua esposa.

“Posso dizer que eu venho nessa luta de concurso público já há uns quatro anos. Agradeço à minha esposa, que foi quem me incentivou a usar todo o tempo necessário para estudos, me ajudando a se preparar para a prova, inclusive ajudando a cuidar de nossa filha para que eu tivesse esse tempo dedicado aos estudos e, Graças a Deus, veio agora a conquista”, disse.

Alexander Cavalcanti relata que já trabalhava com a área de controle, portanto, segundo ele, terá uma afinidade natural ao ingressar na Corte de Contas amazonense.

“Eu já trabalhava na Defensoria do Amazonas, na área de controle, então é uma área que já tinha uma afinidade e, naturalmente, é algo que eu vou gostar muito de fazer aqui. Fiquei muito feliz com a aprovação e agora com o termo de posse, talvez não mais feliz do que meus familiares, que vibraram bastante com a aprovação”, brincou o agora novo servidor.

Já Monaliza Pires Lima destacou o árduo processo de preparação junto aos estudos para a prova do Tribunal de Contas. Segundo ela, foi fundamental ter um acompanhamento para o direcionamento dos estudos, fato que se comprovou útil, já que o objetivo traçado foi alcançado com a assinatura do termo de posse na Corte de Contas.

“Antes do concurso fiz uma inversão nos estudos. Eu estudava para a carreira fiscal, mudei para a área de controle e, quando me aprofundei, senti que me identifiquei bastante. A gente sempre estuda sob pressão, mas tive apoio e inclusive acompanhamento nessa trajetória, ou seja, venci as dificuldades e vi uma evolução nos meus estudos. Quanto ao TCE, eu já estava acompanhando as convocações e esperava ansiosamente ser chamada, felizmente esse dia chegou, agora é comemorar e se preparar para iniciar os trabalhos como servidora concursada”, concluiu a nova servidora do TCE-AM.