Amazonas confirma 1º caso de Covid-19 e autoridades garantem que rede de assistência está preparada para atendimento

O Governo do Amazonas confirmou nesta sexta-feira (13/03) o primeiro caso de Covid-19 (novo coronavírus) no Estado. A paciente é uma mulher de 39 anos, com histórico de viagem recente para Londres (Inglaterra). Em coletiva, as autoridades de vigilância e saúde ressaltaram que a rede de assistência, em todos os níveis (básica, média e alta complexidade), está preparada para o atendimento caso haja pacientes infectados pelo novo vírus.

O secretário de Estado de Saúde, Rodrigo Tobias de Sousa, ressaltou que todas as medidas de vigilância e de preparação da rede de assistência, na capital e no interior, que já tinham sido adotadas, foram revisadas e aprovadas pelo Ministério da Saúde (MS).

“De forma muito responsável, criteriosa e transparente, o Governo do Estado do Amazonas, por meio de sua Secretaria de Estado de Saúde juntamente, com Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Secretaria Municipal de Saúde (Semsa-Manaus), vem declarar a confirmação do primeiro caso de coronavírus do Amazonas. O caso foi detectado de forma precoce, e nesse sentido não merece o pavor da população”, declarou Rodrigo Tobias.

A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, informou que a paciente, assim como em 80% dos casos confirmados no mundo, apresenta sintomas brandos da doença, não precisando ficar internada em uma unidade de saúde. Segundo a diretora, a mulher está em isolamento domiciliar, com monitoramento diário de profissionais de vigilância em saúde.

“Essa paciente, hoje, encontra-se bem, estável. Ela não ficou internada, ela está sem febre, com poucos sintomas, em isolamento domiciliar, e todas as ações de vigilância estão sendo realizadas”, explicou Rosemary.

A diretora-presidente da FVS-AM informou que o órgão faz agora um trabalho de identificação, seguido de monitoramento, de todos os contados que a paciente possa ter tido desde seu retorno a Manaus, no último dia 11/03.

“Os contatos dela estão sendo identificados e monitorados, inclusive os contatos que ela pode ter tido na aeronave. Todas as ações de vigilância estão sendo realizadas em tempo hábil, a contento, tanto pela equipe da FVS-AM quanto pela equipe da Semsa-Manaus”, disse Rosemary. A diretora-presidente ressaltou que o exame da paciente foi realizado em 24 horas, no Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas, (Lacen-AM), que foi habilitado pelo Ministério da Saúde para realizar o procedimento na semana passada.

Orientações – As autoridades de saúde informaram que as medidas de segurança devem ser reforçadas por toda a população, como, por exemplo, evitar a participação em eventos que reúnam grandes multidões. O secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, afirmou que o momento exige mais cuidado com a prevenção, e que ainda não há necessidade de tomar decisões mais restritivas, como a interrupção de aulas.

“Diante do primeiro caso confirmado em Manaus, estamos reforçando as medidas de segurança. Nós estamos em uma fase nova do nosso Plano de Contingência, como, por exemplo, recomendando que se evite eventos com muitas pessoas, reuniões de mais de 100 pessoas. Ainda não há necessidade de suspender aula, mas há necessidade de mantermos a vigilância. É apenas o primeiro caso e não há transmissão interna, trata-se de uma pessoa que veio de fora, mas há necessidade de medidas de segurança”, afirmou Marcelo Magaldi.

Casos atualizados – Nesta sexta-feira, o Amazonas registra então 15 casos notificados com suspeita de Covid-19. Além do primeiro caso confirmado, o Lacen- FVS liberou o resultado de outros dois negativos para Covid-19, um de Manaus e um de Parintins. Nesta nova atualização de dados, o Amazonas passa a ter 15 casos notificados como suspeitos de Covid-19, sendo 10 descartados, 1 confirmado e 4 em investigação. Todos os casos suspeitos são residentes na cidade de Manaus, com histórico de viagem recente para o exterior.

O caso confirmado nesta sexta-feira será incluído no boletim oficial do Ministério da Saúde neste sábado (13/03), quando os dados de todo o país serão atualizados.

Onde buscar atendimento – A diretora-presidente da FVS-AM afirmou que todas as ações de vigilância e assistência para o enfrentamento do novo coronavírus seguem as recomendações estabelecidas pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Rosemary também orientou a população a buscar informações sobre a doença em sites oficiais desses órgãos, além dos portais das secretarias de saúde do Estado (Susam) e do município (Semsa-Manaus), e da própria FVS-AM.

A orientação do Ministério da Saúde é que pessoas que se enquadram na definição de caso suspeito, que apresentem sintomas leves, devem procurar atendimento em Unidades Básicas de Saúde (Posto de Saúde).

Pessoas que se enquadram na definição de caso suspeito que apresentem sintomas mais severos devem procurar unidades de urgência e emergência, de maior complexidade, como hospitais e prontos-socorros.

São considerados casos suspeitos de infecção pelo Covid-19:
– Febre e pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) e histórico de viagem para área com transmissão local nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas;

– Febre e pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) e histórico de contato próximo de caso suspeito para o coronavírus (Covid-19), nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.

Transmissão – A transmissão do vírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva; espirro; tosse; catarro; contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão; contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Rede preparada – A rede de vigilância e assistência do Amazonas está preparada para a contenção de síndromes gripais desde 2019. E em novembro reforçou as medidas com a criação de um comitê envolvendo várias instituições, além das da área da saúde.

“Nós temos um plano de contingência desde novembro, nós já estamos na terceira revisão desse plano. Começamos, inicialmente, preocupados com síndromes respiratórias agudas sazonais e depois nós incluímos o componente, o novo coronavírus. Temos um comitê interinstitucional composto não apenas pelas instituições de saúde que estão aqui presentes. Dentro do nosso plano, nós já executamos o primeiro simulado do Brasil em aeroporto, que foi inédito no país, envolvendo a Secretaria Municipal de Saúde, a Fundação de Vigilância em Saúde, a Susam, o Hospital Delphina, a Infraero, as permissionárias do aeroporto, onde todos estão sabendo o seu papel e o que deve ser feito”, destacou Rosemary.

FOTO: BRUNO ZANARDO/SECOM

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

-PUBLICIDADE-

Lancha Estrela de Nazaré