Nota de esclarecimento

A Associação Cultural Boi-Bumbá Caprichoso vem a público manifestar seu total apoio à ação realizada pela Vara da Infância e da Juventude da Comarca de Parintins, comandada pelo juiz Saullo Góes Pinto, realizada na madrugada deste domingo (23/12), em um evento no Clube de Campo desta associação e, ao mesmo tempo, fazer alguns esclarecimentos em relação à liberação do imóvel para que a programação fosse desenvolvida.

O Clube de Campo da Associação Cultural Boi-Bumbá Caprichoso é terceirizado para um grupo de artistas que tem à frente o artista e sócio Glaucivan Silva. Dentro do contrato feito com o bumbá, em grandes eventos, com bilheteria e venda de bebidas alcoólicas, é cobrada uma taxa e a liberação de alvará para a realização do evento junto à Prefeitura Municipal de Parintins. Entretanto, nesta época de fim de ano, o clube estava sendo locado apenas para a realização de confraternizações de empresas, com a cobrança de uma taxa simbólica para manutenção do clube.

O responsável do imóvel, Glaucivan Silva, afirma que foi enganado pelo responsável da festa, que fez a locação do clube para uma confraternização e ação social que teria início neste sábado (22/12), às 17h e encerraria à 00h. O responsável pela organização da suposta confraternização ainda se comprometeu que o evento não envolveria menores, o que Glaucivan deixou claro que não era permitido.

No dia da programação Glaucivan foi no clube no horário que o evento deveria começar, ficou durante horas no local e voltou a chamar atenção dos organizadores, recebendo como resposta que estavam atrasados, mas que logo chegariam para dar inicio à programação. Mais uma vez o homem identificado como Francinaldo Pessoa informou que cumpriria todas as exigências solicitadas pelo responsável pelo Clube. Glaucivan, confiando na palavra e na atitude daquele homem, foi para casa e no inicio da madrugada foi acionado pela justiça e pelo Conselho Tutelar já, com a interdição do local.

Hoje, após a divulgação das ações realizadas pela justiça, o coordenador do Clube de Campo descobriu que as informações que estavam sendo repassadas pelo organizador da “confraternização” eram falsas e que o horário do evento com a presença de menores estavam sendo definidos em grupos de Whatsapp.

O Boi Caprichoso e o artista Glaucivan Silva foram lesados por um homem que agiu de má fé, junto ao artista, sócio e à própria Associação Cultural. Diante disso, não tiramos nossa responsabilidade de não ter feito uma apuração mais detalhada sobre a veracidade do evento e, ao mesmo tempo, nos colocamos à disposição das entidades envolvidas na ação para todo e qualquer tipo de esclarecimento.

Babá Tupinambá – presidente da Associação Cultural Boi-Bumbá Caprichoso

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here