Fábio César Olintho de Souza
juiz eleitoral de Parintins Fábio César Olintho de Souza / Foto: Marcondes Maciel

O juiz eleitoral de Parintins Fábio César Olintho de Souza, em entrevista ao Repórter Parintins na manhã de sexta-feira, 11 de maio, fez um balanço positivo do serviço de cadastro biométrico no município e divulgou em primeira mão os números oficiais registrados no sistema do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM).

De acordo com o juiz Fábio Olintho, Parintins se mantém como o primeiro colégio eleitoral do interior do Amazonas, ficando abaixo somente de Manaus. Nos dados apresentados pelo juiz da 4ª Zona Eleitoral, o município de Parintins chegou ao total de 67.848 eleitores aptos para participarem das próximas eleições, tendo um registro de 3 mil novos eleitores.

Até o ano de 2017, o eleitorado de Parintins era de 64.310. No cadastro biométrico houve um registro de 79% do eleitorado, perfazendo um total de 50.958 cadastrodis na biometria. Em números de eleitores, Itacoatiara aparece em segundo lugar no Estado com 65.600 eleitores e Manacapuru em terceiro com 65.102 eleitores. No Amazonas apenas Manaus, Itacoatiara e Manacapuru estão com 100% de biometria.

“Quero agradecer à prefeitura pelo termo de cooperação que possibilitou que aumentássemos a oferta de serviços em biometria, o que permitiu que chegássemos ao número muito bom”, agradeceu o magistrado.

O juiz ressaltou que a biometria no Cartório da 4ª Zona Eleitoral começou ainda em janeiro do ano passado e foi necessária uma interrupção por conta da eleição suplementar, sendo que o serviço de cadastro recomeçou imediatamente em novembro, após as eleições e concluído em 9 de maio de 2018.

Fábio César Olintho pontuou que o TRE tomou a decisão de suspender a exigência da obrigatoriedade da biometria em 2018 devido ter uma parada no cadastro, em torno de seis meses, para a preparação da eleição suplementar, que não estava no calendário eleitoral.

“Então, para evitar o cancelamento de mais de 15 mil eleitores de Parintins e também de outras zonas eleitorais do interior, o Tribunal Regional Eleitoral entendeu por bem que nesta eleição não irá cancelar os títulos de eleitores de quem não passou pela biometria”, assegurou.

Entretanto, o magistrado alertou que em 2020, na próxima eleição municipal, será exigido o cadastramento biométrico: “Nós voltaremos a fazer a biometria provavelmente em novembro, logo depois do segundo turno das eleições. E se por algum motivo, os eleitores que não vierem fazer a biometria, esses eleitores terão os títulos cancelados”, disse.

Nas considerações finais o juiz destacou o empenho de toda a equipe da Justiça eleitoral de Parintins.

“O Cartório Eleitoral fez o melhor para atender todos os eleitores. Não tivemos como dar sobra pra todos que ficaram lá fora, mas na medida do possível, o Cartório Eleitoral tentou dar um serviço de qualidade. Tivemos atrasos, às vezes a internet não ajudava, o computador pifava, tínhamos que dar o jeito do brasileiro de ajeitar aqui, ajeitar ali, mas graças a Deus conseguimos fazer um bom trabalho”, finalizou.

Fonte: Marcondes Maciel | Repórter Parintins

Deixe um comentário