Saúde das crianças parintinenses no inverno amazônico

Saúde das crianças parintinenses no inverno amazônico
médica pediatra dra. Ângela Acauan

A dra. pediatra Ângela Acauan, da dicas para a saude da petizada nesse período.

Na primeira edição desta revista, falaremos sobre a saúde das crianças parintinenses no período de inverno amazônico que se estende até o mês de junho. Sobre o assunto, entrevistamos a médica pediatra dra. Ângela Acauan, destacando nesse período, o aumento dos números de casos de crianças com doenças sazonais, ocasionados por vírus e bactérias, principalmente, doenças respiratórias, além de vômitos e diarreias ocasionadas principalmente pela subida do nível do Rio Amazonas tanto na cidade como nas comunidades rurais.

Principais Fatores

Ângela Acauan destaca a mudança do clima e temperatura como principais fatores das doenças no município nesse período. “A grande maioria das crianças têm um tipo de alergia a mudanças de clima e de temperatura, sendo esse o tipo de alergia mais comum na região. De repente está muito calor e do nada chove e esfria, fazendo com que as crianças tenham uma resistência baixa ao vírus, causando resfriados, bronquites, tracbronquites que são os principais vírus dessa época”, explicou.

Prevenção

A médica orienta que o uso de vitamina C é muito importante, mas alerta que “ela (vitamina C) não vai deixar de causar as doenças, mas aumenta bastante a resistência das crianças”. Ela acrescenta que cuidados diários com a higiene, não agasalhar a criança em excesso e também não deixar a criança sem roupa em excesso também ajuda na prevenção.

Acauan informa que comer frutas que contenham vitamina C é mais recomendada que a vitamina comprada em drogarias. “Além da vitamina C, as frutas possuem outras vitaminas que as crianças precisam, mas claro que se você tem uma criança em casa que tenha frequentemente doenças respiratórias, a vitamina C em remédio são as mais recomendáveis”, informou.

“Uma coisa muito importante que eu oriento sempre para as mães tanto no consultório como nos postos de saúde e hospitais é o uso preventivo do soro nasal frequentemente, pois ele mantém o nariz úmido, sem secreção e ajuda a não inalar os vírus. Em termos leigos, (eles grudam nos pelinhos úmidos e não inalam). O uso de soro nasal é a melhor prevenção contra doenças respiratórias”, ressaltou Angela.

Saúde das crianças parintinenses no inverno amazônico

Riscos e Tratamentos

Perguntada se algumas dessas doenças são fatais, a profissional de saúde, enalteceu que “muito raramente essas doenças respiratórias podem ser fatais a não ser que seja uma pneumonia grave, fora isso são doenças facilmente tratáveis, se cuidadas direitinho”.

Sobre os tratamentos, a médica diz que nem sempre os pais podem comprar as medicações, “então a gente procura ver o que tem nos postos de saúde, mas nem sempre tem as medicações adequadas, então esse é um dos problemas”.

Relação de Medicamentos

Na rede pública tem bastantes medicamentos que poderiam ser usados, mas que não estão a disposição. “Foi feito uma lista dos medicamentos mais usados em pediatria junto ao secretário de saúde Clerton Rodrigues e espero que ele tenha pedido todos os medicamentos ou pelo menos uma grande parte das medicações que eu coloquei na lista para que futuramente tenhamos a disposição, pelos menos os principais na rede pública”, disse.

Atendimento

Ângela Acauan voltou para Parintins em novembro de 2016, no novo mandato do prefeito Bi Garcia, e hoje atende em quatro postos de saúde durante a semana, sendo dois dias no Galliane e um dia no Mãe Palmira, outro no Darlinda e Valdir Viana, além de visitas na neonatologia nos 15 dias que a Dr. Neide não está, e na pediatria dos hospitais e também atendendo particular no período da tarde no seu consultório próximo ao parque infantil Pichita Cohen.

Ângela Acauan é natural de Londrina (Paraná), se formou em pediatria na Universidade Estadual de Londrina (1980). Atua como pediatra há 37 anos, dez deles na Ilha Tupinambarana.

Acauan também atende como médica do trabalho há mais de 20 anos.

Fonte: O Jornal da Ilha

Deixe um comentário