Parintins Notícias
Notícias de Parintins

‘Teatro.Doc’ apresenta trajetória de grupos amazonenses nas plataformas digitais

Projeto foi contemplado no edital Prêmio Feliciano Lana, por meio da Lei Aldir Blanc

Em abril, a trajetória de grupos e movimentos teatrais do Amazonas ganhará o mundo por meio das plataformas digitais. É no canal do Teatro na Rede, no Youtube, que o público vai conhecer o projeto “Teatro.Doc”, com oito representantes dessa linguagem artística: Cia de Teatro Metamorfose, A Rã Qi Ri, Ateliê 23, Interarte, Grutec, Soufflé de Bodó Company, Projeto Arte e Comunidade e Grupo Criatê.

O projeto do Teatro na Rede foi contemplado no edital Prêmio Feliciano Lana, que faz parte das ações emergenciais da Lei nº 14.017/2020, conhecida como Lei Aldir Blanc, operacionalizada no Estado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa.

Segundo a idealizadora do “Teatro.Doc”, Dinne Queiroz, a proposta é exibir um episódio, de 20 minutos de duração, por semana. Ela explica que o projeto vem para gerar conteúdo formativo, documental, histórico e de memória sobre grupos atuantes no Estado, a fim de entender como funciona o cenário do teatro local e despertar o interesse da nova geração.

“Eu, como pesquisadora e Mestra em Artes Cênicas, comecei a estudar nossa memória teatral e percebi que falta registrar mais sobre isso, porque tem muita gente começando agora nesta área, por meio da universidade, mas ainda tem histórias e artistas invisibilizados. Então o projeto surge para mostrar como temos representantes importantes na nossa região”, afirma Dinne Queiroz, que assina coordenação geral, direção e roteiro. “Para o critério de escolha dos grupos, buscamos a diversidade. Foram eleitos oito representantes que estão em atividade e resistindo através dos anos e apesar da pandemia, tanto os mais antigos, como o Grutec, que tem 40 anos, quanto os mais novos, egressos das universidades, vindos das periferias, mas todos desenvolvendo trabalhos com consistência e constância”.

Produção – Para apresentar o panorama da resistência teatral do Amazonas em minidocs, as locações foram os espaços dos grupos, mas com as medidas de restrição devido a pandemia da Covid-19. A coordenadora conta que as gravações aconteceram na Casa Som Amazônia, Casa das Artes, Ateliê 23, Jandira Theater e Interarte.

“Por termos restrições quanto a aglomerações, optamos por entrevistar poucas pessoas presencialmente, mas temos ainda vídeos, áudios, fotos enviadas pelos grupos para compor esses minidocs. Eles seguem um roteiro de perguntas que vão desde como o grupo iniciou seu trabalho, a pesquisa de linguagem que desenvolve, as principais dificuldades até as conquistas ao longo dos anos”, comenta a diretora. “Ainda lançamos uma provocação sobre o que eles pensam do teatro amazonense hoje e essa questão é livre para responderem inclusive de forma artística ou poética”.

A ficha técnica traz Ellen Fernandes na produção executiva e assistência de direção, Hamyle Nobre na operação de câmera, áudio, edição e mídias sociais e Thaís Vasconcelos como designer.

Perfil – Dinne Queiroz atua como atriz, diretora, arte educadora e é criadora de conteúdo digital. A artista é formada em Teatro pela Universidade do Estado do Amazonas, especialista em Direção Teatral pela Escola Superior de Artes Célia Helena, formada em Direção pela SP Escola de Teatro e Mestra em Artes Cênicas, com linha de pesquisa em Teatro Brasileiro, pela Universidade de São Paulo.

A coordenadora do “Teatro.Doc” integra o Nosotros Coletivo, o Coletivo Encarnadas e o Núcleo de Diretores, grupos paulistas com pesquisa em atuação e direção. Ao longo dos seus 13 anos de experiência artística, participou de grupos, Festivais e Mostras em Manaus e São Paulo, com indicações de “Melhor Atuação”. Ela também atuou na série televisiva “Boto”, da Artrupe Produções (AM), transmitida pela TV UFAM e TV Bahia em 2020.

Dinne Queiroz cursou “Técnicas de Meisner e Mamet para TV e Cinema”, básico e avançado na Escola Internacional de Cinema e TV de San António de los baños (EICTV), Cuba, em 2020, ministra oficinas na área de interpretação e atuação para TV e audiovisual. É idealizadora do Teatro na Rede, com diversas ações no campo cultural: Criação de apostilas de teatro, oficinas teatrais, webinários, vídeos de conteúdos sobre o teatro amazonense, além de ser umas das criadoras do Memorarte AM, canal de podcast de conteúdo cultural amazonense.

Ela integrou ainda o Projeto Vagamundos do Centro de Pesquisa Teatral, CPT- SESC SP; Núcleo de Estudos Brasileiro Boca de Erê; Núcleo de Pesquisa PERAU (UFPA); e colabora no Centro de Pesquisa Bibliografia Crítica do Teatro Brasileiro (BCTB-CEA-USP).

FOTO: Divulgação

você pode gostar também
Comentários
Loading...