Treinamento de servidores melhora faturamento de unidades da Susam

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) está treinando servidores com o objetivo de melhorar os registros de atendimentos nos sistemas das unidades estaduais. Como resultado, o faturamento do mês de janeiro de algumas unidades, como o Centro de Reabilitação (CER) da Policlínica Codajás, saltou de zero para R$ 50 mil. Já o faturamento da policlínica, somado ao do CER, passou de R$ 80 mil para R$ 300 mil no mesmo período.

O treinamento é realizado pele Departamento de Informática da Susam (Detin), em parceria com a Secretaria Executiva Adjunta de Atenção Especializada da Capital (SEA/Capital) e o Departamento de Controle e Avaliação (Decav). Além de melhorar a captação de recursos federais para o setor de saúde, o preenchimento de informações sobre atendimentos mais preciso dá à gestão mais segurança na tomada de decisões, uma vez que melhora a visão geral do setor.

Os servidores que estão recebendo o treinamento são os que atuam nas recepções e nos setores de faturamento das unidades. Por dia, quatro turmas são treinadas na sede da Susam, no Aleixo, zona centro-sul de Manaus.

Sala de Situação – Segundo o secretário de Estado de Saúde, Rodrigo Tobias, com equipes treinadas e os sistemas das unidades integrados e alimentados de forma correta, as informações serão reunidas e exibidas na Sala de Situação que está sendo implantada na sede da Susam.

“A Sala de Situação vai nos dar a visão geral de tudo o que estamos fazendo, como a informação dos pacientes atendidos e a produção nas unidades, a gestão dos serviços em relação a receitas, despesas, tudo integrado e disponibilizado em tempo real”, explica o secretário.

Para receber recursos do SUS, as unidades precisam informar ao Ministério da Saúde cada atendimento feito no local. Quanto melhor essa informação, mais chances do atendimento ser custeado pelos cofres federais.

Integração de sistemas – O diretor do Detin da Susam, Francisco Arce, informa que o treinamento dos servidores é uma fase importante que antecede a implantação da Sala de Situação. A outra é a integração dos sistemas de registro de atendimentos que atualmente são utilizados pelas unidades de saúde.

Conforme Francisco Arce, as Salas de Situação trabalham o conceito conhecido como overview, ou visão global, que é o melhor caminho para planejamento e tomadas de decisão para corrigir falhas e apontar soluções. “A ideia de criar um Big Data na Susam segue a lógica de que quanto mais informações tivermos, poderemos trabalhar melhor as estratégias de saúde, tomar melhores decisões em prol dos usuários dos serviços”, diz o diretor do Detin.

Outra vantagem, segundo ele, está nos custos. A equipe que está trabalhando na implantação da Sala de Situação é formada por servidores da casa e foi buscar as soluções na internet, nos chamados open source, (software de código aberto desenvolvidos de maneira colaborativa e disponibilizados na rede, sem fins lucrativos).

FOTO: DIVULGAÇÃO/SUSAM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui